Recorda desde a divina matriz o real propósito a que vens AQUI e pelo qual AGORA te manifestas!

Enquanto um diz: Namastê, te saúdo e te reconheço como a sagrada divindade. Em outro lugar, o outro pulsa: In lake´sh, eu sou o outro em você a serviço planetário da compreensão, da aceitação, da cura, da libertação e da realização.

Aquele que tudo vê, nos inspira e responde: "Com visão e esperança danço e canto para o coração divino." Acredito que assim nasce o puro, verdadeiro e divino AMOR, nossa responsabilidade básica.

Aqui e agora é tudo que existe de ETERNO. Respiro e sinto o que simplesmente É e dentro dessa Eternidade, a lembrança IMORTAL: SOMOS UM na Divina Presença.

Seja uno com cada ser-elemento manifesto e a gratidão lhe conecta na fonte de amor e alegria infinita, paz e compaixão infinita, paciência e tolerância infinita.

No espelho do ser, o reflexo D´eus. A união do Todo se traduz num som... OM... AMEM... silêncio!

OM TAT SAT OM...

domingo, 29 de novembro de 2009

Quando cessa a busca

"Mestre é alguém que refinou sua consciência
para receber e refletir perfeitamente a luz de Deus.
O Sol brilha igualmente sobre
um pedaço de carvão e um diamante,
mas só o diamante reflete a luz solar. "Paramahansa Yogananda, A Eterna Busca do Homem

 


Durante muitas vidas eu trabalhei – trabalhei em mim mesmo, lutando, fazendo o que fosse preciso fazer — e nada aconteceu. Agora eu entendo por que nada acontece. O próprio esforço era a barreira, a própria escada estava impedindo, o próprio impulso de busca era o obstáculo. Nada é atingido sem a busca — buscar é necessário — mas chega um ponto em que a busca precisa ser abandonada. O barco é necessário para vocês atravessarem o rio, mas chega o momento em que vocês têm de largar o barco, esquecer tudo sobre ele e deixá-lo para trás. O esforço é necessário, sem esforço nada é possível. Mas também somente com esforço, nada é possível.

Pouco antes do dia 21 de março de 1953, sete dias antes, parei de trabalhar em mim mesmo. Chega o momento em que vocês vêem toda a futilidade do esforço. Vocês fizeram tudo o que podiam fazer e nada aconteceu. Vocês fizeram tudo o que era humanamente possível. O que mais podem fazer então? No mais absoluto desamparo, toda a busca é abandonada. E no dia em que acabou a procura, no dia em que eu não buscava mais coisa alguma no dia em que eu não esperava que algo acontecesse, começou a acontecer. Uma nova energia surgiu — do nada. Ela não provinha de uma fonte. Ela vinha de lugar nenhum e de todos os lugares. Ela estava tanto nas árvores como nas pedras, no céu, no sol, no ar — ela estava em tudo. Eu tinha buscado tão arduamente, pensando que ela estivesse muito distante e estava tão perto! Os olhos estiveram focados no longínquo, no horizonte, e tinham perdido a capacidade de ver o que estava próximo.

No dia em que o esforço cessou, eu também cessei — porque vocês não podem existir sem esforço, não podem existir sem desejos e não podem existir sem empenho. O fenômeno do ego, do eu, não uma coisa — é um processo. Não é uma substância sentada lá dentro de vocês; vocês têm de criá-lo a cada momento. É como pedalar uma bicicleta: se vocês pedalam, ela continua sempre andando; se vocês não pedalam, ela pára. Na verdade, ela ainda consegue andar um pouco mais por causa da inércia; mas no momento em que vocês param de pedalar, a bicicleta começa a parar. Não há mais energia, não há mais força para ir a lugar algum. Ela vai cair e entrar em colapso.

O ego existe porque nós continuamos a pedalar nossos desejos, porque continuamos a nos empenhar para conseguir alguma coisa, porque continuamos saltando à frente de nós mesmos. É exatamente esse o fenômeno do ego — vocês saltam à sua própria frente, um salto no futuro, um salto no amanhã. O salto no inexistente cria o ego. Como resulta do inexistente ele é como uma miragem. Ele consiste somente em desejos e nada mais. Ele consiste só em apetite e nada mais.

O ego não está no presente; ele está no futuro. Se vocês estiverem no futuro, então o ego vai parecer bastante substancial. Se vocês estão no presente, o ego é uma miragem; ele começa a desaparecer.

No dia em que eu parei de buscar... não está correto dizer que eu parei de buscar; melhor seria falar no dia em que a busca parou. Deixe-me repetir: a melhor maneira de dizer é “no dia em que a busca parou”. Porque, se eu a parei, então “eu” estou novamente aqui. Nesse caso, parar torna-se um esforço meu, torna-se um desejo meu, e o desejo continua a existir de uma maneira muito sutil.

Vocês não conseguem parar o desejo; conseguem apenas compreendê-lo. É na própria compreensão do desejo que está a parada dele. Lembrem-se: ninguém consegue parar de desejar — mas a realidade só acontece quando o desejo pára.

Portanto, esse é o dilema. O que fazer? O desejo está dentro de nós, mas os budas vivem dizendo que o desejo precisa ser parado e, no momento seguinte, dizem que nós não conseguimos parar o desejo. Então, o que fazer? As pessoas se vêem diante de um dilema. Elas estão desejando, com certeza. Vocês dizem a elas que o desejo tem de ser parado — tudo bem. E depois vocês lhes dizem que o desejo não pode ser parado. O que se pode fazer então?

O desejo tem de ser compreendido. Você pode compreendê-lo, ver simplesmente a sua futilidade. Uma percepção direta é necessária, uma penetração imediata é necessária.

No dia em que o desejo parou, eu me senti muito desesperançado e desamparado. Sem esperança porque sem futuro. Nada a esperar, pois todas as esperanças se provaram fúteis; elas não levam a parte alguma. Vocês andam a esmo. Elas continuam lá à sua frente, acenando, criando novas miragens, chamando: “Venha, corra mais rápido que você vai alcançar”. Mas, por mais rápido que vocês corram, nunca alcançam. É como o horizonte que vemos ao redor da Terra. Ele aparece, mas não está lá. Vocês vão ao encontro dele, mas ele continua andando à sua frente. Quanto mais rápido vocês correm, mais rápido ele se afasta. Quanto mais devagar vocês vão, mais devagar ele se move. Mas uma coisa é certa — a distância entre vocês e o horizonte continua sendo absolutamente a mesma. Vocês não conseguem reduzir nem sequer um centímetro da distância entre vocês e o horizonte.

Vocês não conseguem reduzir a distância entre vocês e as suas esperanças. A esperança é o horizonte. Com a esperança, com um desejo projetado, vocês tentam construir uma ponte entre vocês e o horizonte. Os desejos são pontes — pontes feitas de sonhos, porque o horizonte não existe. Desse modo, vocês são incapazes de construir uma ponte até ele; só conseguem sonhar com a ponte. É impossível vocês se juntarem ao inexistente.

Osho

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Simplicidade e Devoção

“O corpo físico é um templo.
Cuide dele.



A mente é uma energia.
Coloque-a em ordem.


A mente é a projeção.
Revele-a.


Todo conhecimento é falso
se a alma não é experimentada no corpo.”
 
* * *
Na vida espiritual a pessoa se torna como uma criança - sem ressentimentos, sem apegos, cheia de vida e alegria.

Eu canto um hino jamais entoado por nenhuma outra voz... A Ti, Ó Espírito, eu não canto nenhuma ária intelectual, premeditada e disciplinada; somente a melodia espontânea do meu coração. A Ti não ofereço nenhuma flor de estufa, regada por emoções cuidadosas; somente as flores raras que crescem espontaneamente nos mais altos píncaros de minha alma.

Por que considerar importantes as coisas não essenciais? A maioria das pessoas se concentra no café da manhã, no almoço, no jantar, no trabalho, nas atividades sociais, etc. Simplifiquem a vida e coloquem a mente no Senhor.

Pensas que precisas disto e daquilo para ser feliz. Mas independentemente de quantos desejos sejam satisfeitos, jamais terás felicidade através deles. Quanto mais tiveres, mais haverás de querer. Aprende a viver com simplicidade.

O Senhor Krishna disse: "Está plena de satisfação a mente daquele cujos desejos fluem para dentro de si mesmo. Este homem é como um oceano imutável, mantido cheio até as bordas pelos rios constantemente ali desaguando. Aquele que abre furos de desejos no seu reservatório de paz, deixando escapar suas águas, não é um 'muni'(*)."

(*) muni: um monge que observa mauna, silêncio espiritual. A palavra sânscrita muni tem parentesco com a grega monos, "sozinho, único", da qual derivam as palavras inglesas monk (monge) e monism (monismo).

Deus provou que quando Ele está comigo todas as 'necessidades da vida' tornam-se desnecessárias. Nesse estado de consciência tu te tornas mais saudável do que a maioria das pessoas, mais alegre, mais próspero sob todos os aspectos. Não procure as pequeninas coisas, elas te desviarão de Deus. Começa imediatamente as tuas experiências: simplifica a vida e sê um rei.

Tudo tem seu lugar, mas não é bom quando você perde tempo à custa de sua verdadeira felicidade. Eu eliminei todas as atividades desnecessárias a fim de meditar e tentar conhecer Deus, de modo a poder estar dia e noite em Sua Divina Consciência.

Nós damos muita importância aos sentimentos, mesmo admitindo que o tipo correto de sentimento é muito agradável. Que importância tem o que você sente? Agüente a parte que lhe cabe, desde que esta seja a vontade de Deus. Aja corretamente, e no devido tempo o sentimento correto de paz e alegria virão.

É muito maravilhoso estar em sintonia com Deus e confiar implicitamente nEle, estando contente onde quer que Ele o coloque e o que quer que Ele lhe faça, aceitando tudo com humildade e devoção.

Desperte a devoção! Lembre-se das palavras de Jesus: "Pai, Tu ocultaste estas coisas aos eruditos e aos prudentes, e as revelaste aos pequeninos".

Deus diz: "Ao apelo devocional daquele filho que luta, ora e medita para Me conhecer em corpo, mente e alma como Alegria penetrante e sempre nova - como a Felicidade sempre crescente da meditação - Eu respondo silenciosa e profundamente."

O Conquistador de Corações deseja apenas o seu amor sincero. Ele é como uma criança: alguém pode oferecer a Ele toda a sua riqueza e Ele não aceitar; outro chora a Ele, "Oh Senhor, eu Te amo!" e para o coração de tal devoto Ele vai correndo.

Não busque Deus com segundas intenções, mas ore a Ele com devoção - devoção incondicional, orientada, firme. Quando seu amor por Ele for tão grande quanto o seu apego ao seu corpo mortal, Ele virá a você.

Lembre-se, em sua vontade está a vontade de Deus. No seu coração, você não precisa amar nada além de Deus, que é um Deus "ciumento". Se você O quiser, tem que ter a vontade para repelir de seu coração todo desejo, exceto o desejo por Ele.

A prece na qual sua alma está ardendo de desejo por Deus é a única prece efetiva. Você já orou assim alguma vez, sem dúvida; talvez quando desejou algo muito gravemente ou urgentemente precisou de dinheiro - então você incendiou o éter com seu desejo. É assim que você deve desejar Deus. Fale com Ele dia e noite; você verá que Ele responderá.

Ame-O, fale com Ele a cada segundo de sua vida, em atividade e em silêncio, com sentimento de profunda oração, com o desejo incessante de seu coração; e você verá a tela da ilusão se dissolver.

Ele, que está brincando de esconde-esconde na beleza de flores, nas almas, nas paixões nobres, nos sonhos, virá adiante e dirá: "Você e Eu temos estado separados por muito tempo, porque Eu desejei que você Me desse o seu amor com toda boa vontade. Você é feito à Minha imagem, e eu quis ver se você usaria sua liberdade para Me dar o seu amor".

Você não deve se concentrar no pensamento de que lhe falta devoção, mas deve esforçar-se para desenvolvê-la. Por que ficar triste pelo fato de que Deus não se apresentou a você? Pense no longo tempo que você O ignorou.

Medite mais; aprofunde-se... Mudando seus hábitos, você despertará em seu coração a lembrança do Ser maravilhoso que Ele é; e, conhecendo-O, não há dúvida de que você O amará.

O coração do verdadeiro devoto está sempre dizendo: "Meu Senhor, meu Senhor, eu não quero ser enlaçado no ilusório drama de Tua criação. Não desejo fazer parte dele, exceto para ajudar a estabelecer Teu templo nas almas dos homens. Meu coração, minha alma, meu corpo e mente - tudo pertence a Ti."

Tal devoção alcança Deus. Esse devoto conhece Deus.
Paramahamsa Yogananda

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

DIA de AÇÃO de GRAÇAS


Todo o dia é dia de agradecer, agradecer, agradecer... o que que seja ou acontece tem um fim importante e positivo para a evolução espiritual.

*  * *

"Pelas muitas bençãos que recebes, sê grato todos os dias, não apenas quando o calendário indica o dia de 'Ação de Graças'. A tua gratidão não deve se basear na prosperidade material. Sejam tuas posses muitas ou poucas, ainda assim és rico das dádivas de Deus. Ama-O não pelas coisas que ele pode te dar, mas pela dádiva dEle próprio doar-Se a ti como teu Pai"
Paramahamsa Yogananda

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

O Simbolismo de Escorpião

Sempre precisamos da "morte" para renascermos diante de uma nova realidade. Escorpião é ir além das aparências, é transformar e regenerar todas as coisas.
Escorpião é transformação e também rege a sexualidade, a sensualidade...

O recado que o signo de Escorpião passa para você, mesmo que não tenha nascido com o Sol neste trecho do Zodíaco, descreve um símbolo transcendente da profundidade e intensidade da vida.

Escorpião está no Céu porque uma vida só é possível com a morte de outras: "Pela morte vivemos, porque só somos hoje porque morremos para ontem. Pela morte esperamos, porque só poderemos crer em amanhã pela confiança da morte de hoje. Tudo o que temos é a Morte, tudo o que queremos é a Morte, é morte tudo o que desejamos querer. (...)" (Fernando Pessoa)

Isto é triste? Claro que não; é profundo, intenso, foge às banalidades da vida que costumamos ter e nos abre portas para uma outra, muito além de toda superficialidade cotidiana e de nossas angústias imediatas. Ir além, aliás, é o conceito de Escorpião.

A história mitológica deste signo conta que um escorpião foi enviado por Ártemis, para que matasse Órium - um gigante caçador, que vangloriava-se em ser capaz de vencer qualquer animal do mundo. O escorpião brotou da terra e o gigante, pisando-lhe a cabeça, foi atingido mortalmente pelo veneno do bicho.

A dor que sentimos com as transformações que precisamos enfrentar, sem escolha, em nossa vida, possuem o sublime sentido de nos mergulhar no que há de mais profundo em nossa alma.

"O que a lagarta chama de morte, o sábio chama de borboleta". Se você souber entender este recado, colhê-lo com a máxima entrega e aplicá-lo ao seu cotidiano, os seus infernos serão mais amenos, a vida terá mais profundidade e sentido. A parte de sua alma que nutre-se desta intensidade, que busca por esta transformação e que almeja, acima de tudo, compreender a vida em seu sentido mais amplo, livre de todas as supericialidades, estará iluminada neste mês, seja qual for o seu signo solar. Ë tempo de termos consciência das transformações que precisamos enfrentar.

As palavras, quando poéticas, falam mais do que qualquer explicação didática. A compreensão do mundo, através dos olhos de Escorpião, nas vozes de Clarice Lispector e Eduardo Galeano, são a prova disto.

Poesias em Escorpião
A pequena morte - Eduardo Galeano

Não nos provoca riso o amor quando chega ao mais profundo de sua viagem,
ao mais alto de seu vôo: no mais profundo, no mais alto, nos arranca gemidos e suspiros,
vozes de dor, embora seja dor jubilosa,
e pensando bem não há nada de estranho nisso,
porque nascer é uma alegria que dói.
Pequena morte, chamam na França, a culminação do abraço,
que ao quebrar-nos faz por juntar-nos,
e perdendo-nos faz por nos encontrar
e acabando conosco nos principia.
Pequena morte, dizem; mas grande,
muito grande haverá de ser, se ao nos matar nos nasce.


O Nascimento do prazer (trecho) - Clarice Lispector
O prazer nascendo dói tanto no peito
que se prefere sentir a habituada dor ao insólito prazer.
A alegria verdadeira não tem explicação possível,
não tem a possibilidade de ser compreendida
- e se parece com o início de uma perdição irrecuperável.
Esse fundir-se total é insuportavelmente bom
- como se a morte fosse o nosso bem maior e final,
só que não é a morte,
é a vida incomensurável que chega a se parecer com a grandeza da morte.
Deve-se deixar-se inundar pela alegria aos poucos
- pois é a vida nascendo.
E quem não tiver força,
que antes cubra cada nervo com uma película protetora,
com uma película de morte para poder tolerar a vida.
Essa película pode consistir em qualquer ato formal protetor,
em qualquer silêncio ou em várias palavras sem sentido.
Pois o prazer não é de se brincar com ele.
Ele e nós.


Planeta que rege Escorpião - Plutão - Cacah Travassos - Astróloga e escritora
Plutão representa o inferno, o invisível e o misterioso. No mapa, vai mostrar onde a sua alma terá a possibilidade de morrer para o que é inferior, renascendo transformada e, consequentemente, melhorada.
Ao enfrentar esta "morte", esta descida aos seus infernos interiores com o objetivo de enfrentar seus medos, exorcizar os fantasmas e curar as feridas, você faz uma opção consciente por tornar-se profundo investigador de você mesmo e de quaisquer outras situações que viver, indo além do que as aparências nos impõem.

Caso contrário, terá de conviver com o seu lado sombrio, medroso, tempestuoso, destruidor e, às vezes, até vingativo. Plutão rege o signo de Escorpião e, na Mitologia, é o deus do mundo invisível, nos relembrando que essa dimensão é comum a todos nós e faz parte da vida, que podemos e até devemos transitar por ela, mas com o intuito de superarmos nossas próprias limitações.


terça-feira, 3 de novembro de 2009

Amar



Um pensamento é um ato de criação.
É para isto que estamos aqui, para criarmos,
para gerarmo-nos atráves do pensamento.



O modo como um pensamento pode ser observado
e medido por uma simples forma viva:

uma planta, mostra a relação maravilhosa

entre o homem e o vegetal.


Quando amamos, liberamos nossa energia mental
e a transportamos para o receptáculo do nosso amor.

Amar é
nossa responsabilidade básica.
Amem...

domingo, 1 de novembro de 2009

Caridade


"Ato de caridade é ajudar outros a sair da escuridão e entrar na claridade. Lembre-se que todos são seus e ninguém é seu. Deixe que haja limpeza em seus pensamentos. Veja a necessidade e dê cooperação. Fique desperto e desperte outros. Com sua estabilidade interna, expulse os obstáculos. Seja um bom exemplo, coloque inspiração em sua vida e torne-se um instrumento para todos. Não use sua cabeça demais, use o poder do amor. Com amor verdadeiro Deus trabalhará através de você."(Dadi Janki)

* * *

"O nosso dever neste mundo é ajudar os outros mostrando-lhes as suas rosas e não os seus espinhos. Somente então atingiremos o amor que devemos sentir pelo próximo; somente então podemos florir no nosso próprio jardim. "

"Acima de tudo, na vida, temos necessidade de alguém que nos obrigue a realizar aquilo de que somos capazes. É este o papel da amizade. " (Emerson)

* * *

"Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos não tanto pelo que nos dá, mas pelo que revela de nós mesmos." (Miguel de Unamuno)

* * *

"O ser Humano não é forte, se não por meio da união, e não é feliz senão por meio da paz." (Honoré-Gabriel de Riqueti)

* * *

"A afeição é a qualidade mais importante em qualquer relacionamento do mundo. É a base da verdadeira unidade." (I Ching)

* * *
Acredito que caridade é estar consciente da unidade. Somos um, o que faço ao outro faço a mim mesma e vice-versa.

OM... AMEM...