Recorda desde a divina matriz o real propósito a que vens AQUI e pelo qual AGORA te manifestas!

Enquanto um diz: Namastê, te saúdo e te reconheço como a sagrada divindade. Em outro lugar, o outro pulsa: In lake´sh, eu sou o outro em você a serviço planetário da compreensão, da aceitação, da cura, da libertação e da realização.

Aquele que tudo vê, nos inspira e responde: "Com visão e esperança danço e canto para o coração divino." Acredito que assim nasce o puro, verdadeiro e divino AMOR, nossa responsabilidade básica.

Aqui e agora é tudo que existe de ETERNO. Respiro e sinto o que simplesmente É e dentro dessa Eternidade, a lembrança IMORTAL: SOMOS UM na Divina Presença.

Seja uno com cada ser-elemento manifesto e a gratidão lhe conecta na fonte de amor e alegria infinita, paz e compaixão infinita, paciência e tolerância infinita.

No espelho do ser, o reflexo D´eus. A união do Todo se traduz num som... OM... AMEM... silêncio!

OM TAT SAT OM...

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Vida



"Faça de seu Planeta
e de seu Tempo e Vida
um Jardim de Arte
e de Beleza sem Fim"

domingo, 14 de fevereiro de 2010

Tomar Posse



Tomar posse de alguma coisa é sentir que aquilo realmente lhe pertence e levar para a sua casa, para a sua vida com a certeza de que é realmente seu.

Por isso, hoje eu trago-lhe um recado especial:

- Tome posse da alegria que os anjos derramam todos os dias pelo mundo e que os tolos, os céticos, os pessimistas, os agitadores, os baderneiros, a turma do “quanto pior melhor não vêem”, mas que está ai, para você agarrar e levar para qualquer lugar.

Em qualquer lugar cabe um sorriso, um gesto de compreensão e simpatia, principalmente, onde não somos bem recebidos, onde nos tratam mal.
Que prazer poder devolver o mal com o bem, não por ironia, mas pela certeza de que nada e nem ninguém, podem roubar a nossa paz se não o permitimos.

Tome posse da paz que vem com a brisa que leva o calor para longe.


Tome posse da amizade verdadeira que está sempre por perto.

Tome posse do carinho de gente que aprendeu a reconhecer em você o próprio bem.

Tome posse da simpatia que está ai, no seu coração, pronta para ser repartida.

Tome posse dos sonhos que pedem: realize-me!

Tome posse da fé, que é a própria certeza de que não estamos aqui por mero acaso, e que cada um de nós, representa um tijolo na construção do mundo melhor que tanto sonhamos.

Tome posse da importância que você tem para o mundo.

Tome posse de você!

Não deixe que o maltratem, que o diminuam, que o humilhem.

Tome posse do amor de Deus, que na sua infinita misericórdia, derrama agora sobre a sua vida, para que você sinta em plenitude, o quanto você importa.

Tome posse da felicidade, que acena para você como velha conhecida, sua melhor amiga que diz:

Vem ser feliz!

Eu acredito em você!

Paulo Roberto Gaefke

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Guru, mestre que nos guia ao Amor Espiritual

"Um jardineiro nunca pergunta
 por que há coisas velhas no jardim,
ele simplesmente faz o trabalho

de removê-las sem se queixar.
Um jardineiro é muito simples.

É essa simplicidade que torna alguém digno
de ser um bom exemplo para os outros.
Simplicidade significa não ir ao extremo de nada.
É quando há limpeza em tudo

e não há ciúmes dos outros em relação a mim.
Simplicidade é não desperdiçar nada.

Simplicidade verdadeira

é ter uma mente simples."

Dadi Janki

Mais alto do que o céu... Permaneça usando as virtudes como ornamento. Permaneça amando os outros. Permaneçca oferendo carinhos e consideração. Você tem que ir além das estrelas. Mantenha os pensamentos mais elevados do que o céu, e a abundância da paciência como a terra. Mantenha o amor espiritual em seus olhos.

No início da nossa busca espiritual, é sábio comparar os vários caminhos e os vários mestres. Mas, uma vez que você encontrou o seu Guru (Mestre espiritual, "o que dissipa as trevas"; do sânscrito "gu", trevas; "ru", o que dissipa).

Guru ou Mestre é aquele cujos ensinamentos poderão conduzi-lo à Divina Meta, então a busca inquieta deve cessar. Uma pessoa espiritualmente sedenta não deve continuar procurando indefinidamente novas fontes; é preferível que ela vá à melhor nascente e beba diariamente de suas águas vivificantes.

Quando permitimos que nossa vontade seja conduzida pela sabedoria de um mestre, cuja vontade está sintonizada com a vontade de Deus, o mestre busca guiar nossa vontade de tal modo que viajamos rapidamente no caminho de volta à divindade. A diferença principal entre um homem mundano e um santo é que o sábio sintonizou sua vontade à Vontade Divina.

O verdadeiro discípulo obedece ao seu guru implicitamente em tudo porque o guru é um homem de sabedoria e pureza.

É quando silenciamos o vibrar da nossa mente que podemos verdadeiramente ouvir o que está em nosso coração e ainda encontrar a pureza desobstruída que se encontra dentro da alma. O amor espiritual nos carrega ao silêncio de nosso estado original de ser. Este silêncio contem o poder criar a harmonia em todos os relacionamentos e na doçura para sustentá-los.

É porque Deus quer vocês que estou aqui, chamando-os a retornar ao Lar, onde meu Amado está, onde Cristo, Krishna, Babaji, Lahiri Mahasaya, Sri Yukteswarji e os outros santos estão. "Venham", o Senhor está dizendo, "todos eles estão se regozijando em Mim. Nenhuma alegria mundana - o sabor do alimento, a beleza das flores, o passageiro prazer do amor material - pode se comparar às alegrias divinas do Meu Lar". Há somente uma Realidade. É Ele. Esqueça tudo o mais.

Sem um guru o devoto comum não pode encontrar Deus. São necessários 25% de prática dedicada a técnicas de meditação, 25% de bênçãos do guru e 50% de graça de Deus. Se você permanecer firme em seus esforços até o fim, Ele aparecerá diante de você.

Quando alguém encontra seu guru deve haver devoção incondicional, porque ele é o veículo de Deus. O único propósito do guru é conduzir o discípulo à Auto-realização; o amor que um guru recebe de um devoto é oferecido a Deus.

Paramahansa Yogananda

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Os 3 últimos desejos de ALEXANDRE O GRANDE

1, Que seu caixão fosse transportado, pelas mãos dos médicos da época;

2, Que fosse espalhado no caminho até seu túmulo, os seus tesouros conquistados como prata , ouro, e pedras preciosas ;

3, Que suas duas mãos fossem deixadas balançando no ar, fora do caixão, à vista de todos.

Um dos seus generais, admirado com esses desejos insólitos, perguntou a ALEXANDRE quais as razões desses pedidos e ele explicou:

1, Quero que os mais iminentes médicos carreguem meu caixão para mostrar, que eles NÃO têm poder de cura, perante a morte;

2, Quero que o chão seja coberto pelos meus tesouros, para que as pessoas possam ver, que os bens materiais aqui conquistados, aqui permanecem;

3, Quero que minhas mãos balancem ao vento, para que as pessoas possam ver que, de mãos vazias viemos e, de mãos vazias partimos.


Pense nisso.....

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Mensagem à família


Na educação de nossos filhos
Todo exagero é negativo.
Responda-lhe, mas não descubra por ele.
Proteja-o, não o cubra.
Ajude-o, não o substitua.
Abrigue-o, não o esconda.
Ame-o, não o idolatre.
Acompanhe-o, não o leve.
Mostre-lhe o perigo, não o atemorize.
Inclua-o, não o isole.
Alimente suas esperanças, não as descarte.
Não exija que seja o melhor, peça-lhe para ser bom e dê exemplo.
Não o mime em demasia, rodeie-o de amor.
Não o mande estudar, prepare-lhe um clima de estudo.
Não fabrique um castelo para ele, vivam todos com naturalidade.
Não lhe ensine a ser, seja você como quer que ele seja.
Não lhe dedique a vida, vivam todos.
Lembre-se de que seu filho não o escuta, ele o olha.

Eugênia Puebla

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Oração de Cura

"Observa os prodígios enquanto acontecem
Ao teu redor.
Não os exijas.
Sente a maestria que se movimenta
Por trás deles.
E permanece em silêncio"
Rumi




 
No templo sagrado orar,

meditar e silenciar...

http://pages.apis.com.br/terapiaenergetica/Arquivos%20Complementares/oracaodecura.htm
 
om om om

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Estrelas do Mar...




Era uma vez um escritor que morava em uma tranqüila praia, junto de uma colônia de pescadores. Todas as manhãs ele caminhava à beira do mar para se inspirar, e à tarde ficava em casa escrevendo.

Certo dia, caminhando na praia, ele viu um vulto que parecia dançar. Ao chegar perto, ele reparou que se tratava de um jovem que recolhia estrelas-do-mar da areia para, uma por uma, jogá-las novamente de volta ao oceano.

"Por que está fazendo isso?"- perguntou o escritor.

"Você não vê! - explicou o jovem - A maré está baixa e o sol está brilhando.. Elas irão secar e morrer se ficarem aqui na areia".

O escritor espantou-se.

"Meu jovem, existem milhares de quilômetros de praias por este mundo afora, e centenas de milhares de estrelas-do-mar espalhadas pela praia. Que diferença faz? Você joga umas poucas de volta ao oceano. A maioria vai perecer de qualquer forma".

O jovem pegou mais uma estrela na praia, jogou de volta ao oceano e olhou para o escritor."Para essa aqui eu fiz a diferença."

Naquela noite o escritor não conseguiu escrever, sequer dormir. Pela manhã, voltou à praia, procurou o jovem, uniu-se a ele e, juntos, começaram a jogar estrelas-do-mar de volta ao oceano.

* * *
Autor Desconhecido