Recorda desde a divina matriz o real propósito a que vens AQUI e pelo qual AGORA te manifestas!

Enquanto um diz: Namastê, te saúdo e te reconheço como a sagrada divindade. Em outro lugar, o outro pulsa: In lake´sh, eu sou o outro em você a serviço planetário da compreensão, da aceitação, da cura, da libertação e da realização.

Aquele que tudo vê, nos inspira e responde: "Com visão e esperança danço e canto para o coração divino." Acredito que assim nasce o puro, verdadeiro e divino AMOR, nossa responsabilidade básica.

Aqui e agora é tudo que existe de ETERNO. Respiro e sinto o que simplesmente É e dentro dessa Eternidade, a lembrança IMORTAL: SOMOS UM na Divina Presença.

Seja uno com cada ser-elemento manifesto e a gratidão lhe conecta na fonte de amor e alegria infinita, paz e compaixão infinita, paciência e tolerância infinita.

No espelho do ser, o reflexo D´eus. A união do Todo se traduz num som... OM... AMEM... silêncio!

OM TAT SAT OM...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2009

Humildade



A humildade é a manifestação de um coração compreensivo, e serve de exemplo de grandeza a ser seguido pelos outros.


As chuvas da misericórdia Divina não se acumulam no topo das montanhas do orgulho, mas fluem facilmente para os vales da humildade.


O orgulho cega, apagando a visão de vastidão que as grandes almas possuem. A humildade é o canal através do qual o fluxo divino do Poder e da Misericórdia fluem até às almas receptivas.


A humildade cresce com o entendimento de que Deus é o Executor, não você. Depois que você tiver percebido isso, como poderá orgulhar-se de qualquer feito? Guarde sempre em sua mente que, qualquer que seja o trabalho que você estiver fazendo, é o Senhor quem está agindo através de você.

Conforme Jesus ensinou, "o maior homem é aquele que se considera o menor". O verdadeiro líder é aquele que primeiramente aprendeu a obedecer aos outros, aquele que quer ser o servo de todos, aquele que nunca se coloca num pedestal.


Aqueles que querem ser enaltecidos, não merecem a nossa admiração, mas aqueles que nos servem têm direito ao nosso amor. Não é Deus o servo de todos os seus filhos e, no entanto, pede Ele louvores? Não! Ele é grande demais para ser tocado por isto.

Pouco conhecimento é algo perigoso, pois o devoto poderá sentir-se envaidecido, satisfeito consigo mesmo, falsamente supondo que Deus é aquilo que ele sabe. Há um provérbio que diz que antes da queda vem o orgulho. Uma pessoa que se admira dos próprios feitos tende a se privar de continuar seus esforços. (...) Aquele que está livre da sensação de valor pessoal torna-se cada vez mais espiritualizado, até tornar-se um com Deus.


Se o seu trabalho nesta vida é modesto, não se desculpe por isso. Orgulhe-se, porque você está executando a tarefa que lhe foi dada pelo Pai. Ele precisa de você exatamente nesse lugar; as pessoas não podem desempenhar, todas elas, o mesmo papel. Quando você trabalhar com o único objetivo de agradar a Deus, as forças cósmicas harmoniosamente lhe assistirão.


Paramahansa Yogananda

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

O Uso e o Significado da Grande Invocação




Este é o o Mantram da Era de Aquário!


A beleza e a força desta Invocação jazem em sua simplicidade e em sua expressão de certas verdades centrais que todos os homens, inata e normalmente, aceitam - a verdade da existência de uma inteligência básica a Quem nós vagamente chamamos de Deus; a verdade que por trás de toda aparência exterior, o poder motivador do universo é o Amor; a verdade que uma grande Individualidade, chamada Cristo pelos cristãos, veio à terra e encarnou aquele amor de modo que o pudéssemos entender; a verdade que tanto o amor como a inteligência são efeitos do que é chamada a Vontade de Deus; e finalmente a verdade auto-evidente que somente através da humanidade mesma pode o Plano cumprir-se.

Toda esta Invocação se refere ao dominador e revelador reservatório de energia, à causa imediata de todos os acontecimentos na terra que indicam a emergência daquilo que é novo e melhor; esses acontecimentos demonstram a progressão da consciência em direção à luz maior.
O apelo invocativo habitual tem sido até agora egoísta em sua natureza e temporário em sua formulação. Os homens tem orado para si próprios; eles tem invocado a ajuda divina para os que amam; e dado uma interpretação material a suas necessidades básicas.

Esta invocação é uma oração mundial; ela não tem qualquer apelo pessoal, nem urgência invocativa temporal; ela expressa a necessidade da humanidade e mergulha em todas as dificuldades, dúvidas e questionamentos diretamente até a Mente e o Coração D'Aquele em Quem vivemos, nos movemos e temos o nosso ser - Aquele Que permanecerá conosco até o final do próprio tempo e "até que o último cansado peregrino tenha encontrado seu caminho de volta para casa".

DO PONTO DE LUZ NA MENTE DE DEUS,
FLUA LUZ ÀS MENTES HUMANAS;
QUE A LUZ DESÇA À TERRA.

Nas primeiras três linhas temos a referência à Mente de Deus como um ponto focal para a luz divina. Isso se refere à alma de todas as coisas. O termo alma com seu principal atributo de esclarecimento inclui a alma humana e aquele ponto de consumação de luz que nós consideramos como a "ofuscante" alma da humanidade. Aquela alma traz luz e espalha iluminação. Ela é necessária sempre, para lembrar que a luz é energia ativa.

Quando nós invocamos a Mente de Deus e dizemos: "Flua luz às mentes dos homens, que a Luz desça à Terra", nos estamos vocalizando uma das grandes necessidades da humanidade e, se a invocação e a prece significam realmente algo, a resposta é certa e segura. Quando encontramos presente em todas as pessoas, em todas as épocas, em cada era e em toda situação, a urgência em verbalizar um apreço ao Centro espiritual invisível, há uma segura certeza de que um centro existe. A Invocação é tão velha quanto a própria humanidade.

O Cristo nos disse que os homens "amam as trevas em vez da luz, porque seus atos são maus". Contudo, uma das grandes belezas emergentes no tempo atual é que a luz está sendo lançada em cada lugar escuro, e nada há oculto que não venha a ser revelado. As pessoas reconhecem a presente trava e miséria e consequentemente saúdam a luz. A iluminação das mentes do homens, de modo a que eles possam ver as coisas como elas são, pode alcançar motivos corretos e o meio de alcançar corretas relações humanas é agora uma necessidade capital. Na luz que iluminação traz, veremos finalmente luz, e o dia virá em que milhares de filhos dos homens e incontáveis grupos serão capazes de dizer com Hermes e com o Cristo: "Eu sou (ou nós somos) a luz do mundo".

DO PONTO DE AMOR NO CORAÇÃO DE DEUS,
FLUA AMOR AOS CORAÇÕES HUMANOS;
QUE AQUELE QUE VEM VOLTE À TERRA.

Nas três linhas seguintes, o Coração de Deus é envolvido e o ponto focal do amor considerado. Este "coração" do mundo manifestado é a Hierarquia espiritual - esse grande agente transmissor de amor para dotar de forma a manifestação divina.

O Amor é uma energia que deve alcançar os corações dos homens e fecundar a humanidade com a qualidade da compreensão amorosa, isso é o que é expresso quando o amor e a inteligência se expressam juntos.

Quando os discípulos estiverem agindo realmente em nome do Cristo, então virá o tempo em que Ele poderá novamente andar no meio dos homens de maneira pública; Ele poderá ser publicamente identificado e assim fazer Seu trabalho em níveis exteriores de vida assim como no interior. O Cristo disse ao se despedir de Seus discípulos: "Estou com vocês sempre, até o fim dos dias".

Quando o Cristo vier, haverá um florescimento de grande atividade de Seu tipo de consciência entre os homens; Ele incutirá no mundo dos homens a potência e a energia distintiva do amor intuitivo. Os resultados da distribuição dessa energia de amor serão de duplo aspecto:
Primeiro, a energia ativa da compreensão-amorosa mobilizará uma tremenda reação contra a potência do ódio. Odiar, ser separativo e ser exclusivo virão a ser considerados como o pecado único, pois será reconhecido que todos os pecadores, tais como relacionados e agora considerados como erros, somente se desenvolvem a partir do ódio ou de seu produto, a consciência anti-social.

Em segundo lugar, homens e mulheres incontáveis em todos os países constituir-se-ão em grupos para a promoção da boa-vontade e apara a produção de corretas relações humanas. Tão grande será o seu número que, de uma minoria pequena e relativamente sem importância, chegarão a ser a maior e mais influente força no mundo.

DO CENTRO ONDE A VONTADE DE DEUS É CONHECIDA,
GUIE O PROPÓSITO TODAS AS PEQUENAS VONTADES HUMANAS;
O PROPÓSITO QUE OS MESTRES CONHECEM E A QUE SERVEM.

Nestas linhas encontramos uma prece em que a vontade humana possa ser ajustada de modo a ficar em conformidade com a vontade divina, mesmo que esta não seja compreendida. Há uma indicação nessas três linhas que a humanidade em si mesma não pode, por enquanto, alcançar o que seja o propósito da Vontade de Deus, aquele aspecto da vontade divina que procura imediata expressão da terra. Mas certamente, na medida em que o propósito da Vontade de Deus busca influir sobre a vontade humana, ela é expressa em termos humanos como boa-vontade, como determinação viva ou como uma intenção fixa de alcançar corretas relações humanas.

A vontade divina, tal com é essencialmente, permanece o grande mistério. O próprio Cristo lutou com o problema da vontade divina e dirigiu-Se ao Pai quando pela primeira vez Ele se conscientizou da extensão e da complexidade de Sua missão como salvador mundial. Ele então bradou alto: "Pai, não a minha vontade mas a Tua seja feita". Essas palavras marcaram o abandono dos meios através dos quais Ele estivera tentando salvar a humanidade; isso Lhe indicava o que poderia àquela tempo, ter parecido um fracasso e que Sua missão não estava cumprida. Por dois mil anos Ele tem esperado para ver frutificar aquela missão. Ele não pode prosseguir com Sua missão sem uma ação recíproca da humanidade.

Essa Invocação é peculiar e, essencialmente, o Próprio Mantram do Cristo. Seu "som ecoou" para o mundo inteiro por intermédio da sua enunciação por Ele e através de seu uso pela Hierarquia espiritual. Agora suas palavras devem espalhar-se pelo mundo inteiro através de sua enunciação pelos homens em toda parte e seu significado deve ser expresso pelas massas no devido tempo. Então o Cristo poderá novamente "descer à terra" e "ver a obra de sua alma e ficar satisfeito".

DO CENTRO A QUE CHAMAMOS RAÇA HUMANA,
CUMPRA-SE O PLANO DE AMOR E LUZ;
E QUE ELE VEDE A PORTA ONDE MORA O MAL.

No quarto grupo de três linhas, tendo invocado os três aspectos ou potências da Mente, Amor e Vontade, temos a indicação da ancoragem de todos esses poderes na própria humanidade, no "centro a que chamamos raça dos homens". Aqui, e somente aqui, podem todas as três qualidades divinas - em tempo e espaço - expressar-se e encontrar plena realização; aqui, e somente aqui, pode o amor verdadeiramente nascer, a inteligência corretamente funcionar e a Vontade de Deus demonstrar sua efetiva vontade-para-o-bem. Pela humanidade, só e sem ajuda (exceto pelo divino espírito em todo ser humano), pode a "porta onde habita o mal" ser selada.

Esta linha final da quarta estrofe talvez exija explicação. Esta é uma maneira simbólica de expressar a idéia de tornar os propósitos maus tanto inativos quanto ineficazes. Não há particular localização para o mal; no Livro das Revelações, o Novo Testamento fala do mal e da destruição do diabo e do tornar Satã impotente.

A "porta onde mora o mal" é mantida aberta pela humanidade através de seus desejos egoístas, seus ódios e separatividade, por sua ambição e suas barreiras raciais e nacionais, suas baixas ambições pessoais e seu amor pelo poder e crueldade. À medida que a boa-vontade e a luz fluírem nas mentes e corações humanos, essas más qualidades e essas energias dirigidas que mantém aberta a porta do mal dão lugar a uma ânsia por corretas relações humanas, a uma determinação para criar um mundo melhor e mais pacífico e a uma expressão mundial da vontade-para-o-bem.

À proporção que essas qualidades se superponham às velhas e indesejáveis, a porta onde mora o mal simbolicamente fechar-se-á lentamente através da mudança de rumo do peso da opinião pública e pelo correto desejo humano. Nada pode impedi-lo.

Assim o Plano original será restaurado na terra. Simultaneamente, a porta para o mundo da realidade espiritual abrir-se-á diante da humanidade e a porta onde mora o mal será fechada. Assim, através do "centro a que chamamos raça dos homens" o Plano de Amor e Luz opera e aplica o golpe de morte no mal, no egoísmo e na separatividade, selando-os na tumba da morte para sempre; assim também o propósito do Criador de todas as coisas será cumprido.

QUE A LUZ, O AMOR E O PODER
RESTABELEÇAM O PLANO DA TERRA.

Fica evidente que as três primeiras estrofes invocam, ou apelam para os três aspectos da vida divina que são universalmente reconhecidos: a mente de Deus, o amor de Deus e a vontade ou o propósito de Deus; a quarta indica a relação da humanidade com essas três energias de inteligência, amor e vontade e a profunda responsabilidade da humanidade de implementar a difusão do amor e luz na terra para restaurar o Plano.

Este Plano convoca a humanidade para a expressão do Amor e desafia os homens para "deixarem sua luz brilhar". Então vem a solicitação solene final para que este "Plano de Amor e Luz", atuando através da humanidade, possa "murar a porta onde mora o mal".

A linha final então contém a idéia da restauração, indicando a nota-chave para o futuro e que dia virá quando a idéia original de Deus e Sua intenção inicial não mais serão frustadas pelo mal e pelo livre-arbítrio humanos, pelo puro materialismo e egoísmo; o propósito divino será então, através dos corações e dos objetivos renovados da humanidade, alcançado.


(texto elaborado pela Fundação Cultural Avatar - Niterói - RJ - Brasil)

http://www.agenda.culturalfilosofica.nom.br/usoesign.htm

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Solidão...



Solidão não é falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo....
Isto é carência.

Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência
de entes queridos que não podem mais voltar...
Isto é saudade.

Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe à vezes para realinhar os pensamentos...
Isso é equilíbrio.

Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe, compulsoriamente para que revejamos a nossa vida...
Isso é um princípio da natureza.

Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado...
Isso é circunstância.

Solidão é muito mais do que isto.

Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma...

Francisco Buarque de Holanda

Amor Divino


 
"Ó Mãe Cósmica!
Ensina-me a utilizar o dom de Teu amor
que colocas-Te em meu coração,
para expandir minha piedade ao infinito!'"
Paramahansa Yogananda
("Sussuros De La Madre Eterna")

Ah, o Amor Divino!... O maior romance é com o Infinito. Você não tem idéia de quão bela a vida pode ser. Quando você de repente encontra Deus em todo o lugar, quando Ele vem e fala com você e o guia, o romance do amor divino começou.

Paramahansa Yogananda, "A Eterna Busca do Homem".

Deus não nos diz que devemos querê-Lo acima de tudo porque Ele deseja que o nosso amor seja dado espontaneamente, e não sob "coação". Aí está todo o segredo do jogo deste universo. Aquele que nos criou deseja o nosso amor. Ele quer que nós o ofereçamos espontanemente, sem Seu pedido. Nosso amor é a única coisa que Deus não possui, a menos que nós o ofereçamos. Portanto, até mesmo o Senhor tem algo a conquistar: nosso amor. E jamais seremos felizes enquanto não o dermos.

Paramahansa Yogananda, "Como Falar com Deus"


Todas as minhas perguntas foram respondidas, não pelos homens, mas por Deus. Ele é, Ele é. É o espírito dEle que fala a você através de mim. É do Seu amor que eu falo. Vibração após vibração! Como delicados zéfiros, Seu amor vem sobre a alma. Dia e noite, semana após semana, ano após ano, ele continua aumentando - você não sabe onde termina. E isso é o que vocês procuram, cada um de vocês. Você pensa que quer amor humano e prosperidade, mas por trás dessas coisas é o seu Pai quem está lhe chamando. Se você perceber que Ele é maior que todos os Seus presentes, você O encontrará.
Paramahansa Yogananda, "The Divine Romance"

Desenvolva o amor de Deus de tal modo que eu possa ver em seus olhos que você está embriagado de Deus, e não perguntando, "quando eu terei Deus?" Quando você pergunta isso, você não é um devoto. O devoto diz: "Eu O tenho, Ele está me escutando; meu Amado está sempre comigo. Ele está movendo minhas mãos; Ele está digerindo minha comida; Ele está me observando através das estrelas."
Se, na escuridão, a mente nunca vacila, se o amor e a saudade nunca enfraquecem, então você provou a si mesmo que tem o amor de Deus.
Sri Gyanamata, "God Alone: The Life & Letters of a Saint"
Quando o Senhor ordenou: "Não terás outros deuses além de mim, não farás para ti nenhum ídolo" (Ex. 20:3-4), Ele quis dizer que nós não devemos exaltar os objetos da criação acima do criador. Nosso amor pela natureza, família, amigos, deveres e posses não devem ocupar o trono supremo em nossos corações. Esse lugar pertence a Deus.

Paramahansa Yogananda, "Máximas de Paramahansa Yogananda"

O amor de Deus não pode ser descrito com palavras, mas pode ser sentido quando o seu coração for puro e estável. Quando a sua mente e o seu sentimento se voltarem para o interior, você começará a sentir a Sua alegria. Os prazeres materiais são efêmeros, mas a alegria de Deus é eterna. É incomparável!
Paramahansa Yogananda, "The Divine Romance"

------------------------------------------------

Que a minha prece seja,
não para ser protegido dos perigos,
mas para não ter medo de enfrentá-los. Que a minha prece seja,
não para acalmar a dor,
mas para que o coração a conquiste.


Permita que na batalha da vida não procure aliados,
mas as minha próprias forças.
Permita que não implore no meu medo ansioso por ser salvo,
mas que aguarde a paciência para conquistar a minha liberdade.
Rabindranath Tagore, poeta indiano.


segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Renúncia Interna



O que eu não podia entender era por que todas as coisas que eram certas, que eram minhas, que não incomodavam ninguém, todos os pequenos e queridos direitos e privilégios, deveriam ser tirados de mim. Mas eles foram tirados assim por Deus. Ele estava me retirando de uma vida de dependência a pequenos confortos e me empurrando para uma vida que deveria ser vivida só para Ele.


Sri Gyanamata, "God Alone: The life and letters of a Saint"

Os santos dão ênfase à renúncia para que um forte apego material não nos venha a impedir de obter o reino de Deus. Renúncia não significa desistir de tudo; significa abandonar pequenos prazeres pela eterna bem-aventurança.

A renúncia é o sábio caminho trilhado pelo devoto que voluntariamente troca o menor pelo maior. Ele desdenha dos transitórios prazeres sensoriais pela posse das alegrias eternas. A renúncia não é um fim em si mesmo, mas prepara o terreno para o florescimento das qualidades da alma.

Ninguém deveria temer os rigores da auto-negação; as bençãos espirituais que se seguem são enormes e incomparáveis

A renúncia não é um fim, é um meio para se atingir um fim. O verdadeiro renunciante é aquele que vive primeiro para Deus, independentemente do aspecto exterior de sua vida.

Amar a Deus e conduzir sua existência para satisfazê-Lo - isso é o que importa. Quando você proceder assim, conhecerá o Senhor.

De coração renuncie a tudo, e perceba que você está apenas representando um papel no intrincado Filme Cósmico, um papel que mais cedo ou mais tarde deverá terminar. Você então o esquecerá como a um sonho.

O nosso ambiente produz em nós a ilusão de aparente importância para os nossos testes e representações atuais. Levante-se acima dessa consciência temporal. Então perceba Deus interiormente para que Ele se torne a única influência na sua vida.

Uma pessoa preguiçosa nunca encontra Deus. Uma mente frívola se torna a oficina do diabo. Mas pessoas que trabalham por uma vida sem desejos pelos frutos da ação, desejando apenas Deus, são verdadeiros renunciantes.

Não há problema em aproveitar a vida; o segredo da Felicidade é não ser apegado à nada. Sinta o cheiro da flor, mas veja Deus nele. Eu mantive a consciência dos sentidos somente até o ponto em que, utilizando-a, eu possa sempre perceber e pensar em Deus.

"Meus olhos foram feitos para observar tua beleza em todo lugar. Meus ouvidos foram feitos para ouvir tua voz onipresente". Isso é yoga. União com Deus. Não é necessário ir até a floresta para encontrá-Lo.

Hábitos mundanos nos deterão rápidamente onde quer que possamos estar, até que nos libertemos deles. O yogi aprende à encontrar Deus na caverna do seu coração. Onde quer que ele vá, ele carrega consigo a extática consciência da presença de Deus.

A renúncia não é negativa, mas sim positiva. Não significa desistir de nada, exceto a miséria. Ninguém deve encarar a renúncia como caminho de sacrifício. Ao invés, é um investimento divino, pelo qual nossos poucos centavos de auto-disciplina irão render um milhão de dólares espirituais.

Não é sabedoria gastar as moedas de nossos velozes dias para comprar Eternidade?


Textos extraídos de Paramahansa Yogananda em

"Máximas de Paramahansa Yogananda"
"Rajarsi Janakananda: O Grande Iogue do Ocidente".
"Como Falar com Deus"Diário Espiritual - 1996
"God Talks With Arjuna - The Bhagavad Gita"
"A Eterna Busca do Homem"
OM OM OM

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Certa vez, os cinco dedos...


Certa vez, os cinco dedos de uma mão discutiram entre si sobre qual dedo seria o mais importante.

O dedo médio argumentou com ego: "Eu sou maior que todos vocês. Há dois guarda-costas em cada lado meu; eu sou o mais importante".

O indicador disse: "Vocês só podem fazer qualquer trabalho quando eu lhes mostro o que fazer. Caso contrário, não podem. Portanto, eu sou o mais importante".

O dedo mínimo interveio e disse: "Embora eu seja pequeno em tamanho, estou à frente como o comandante chefe para punir qualquer indivíduo ou ensinar-lhe uma lição. Portanto, eu sou o mais importante".

Então, o anular riu e disse: "As pessoas usam diamantes e anéis de pedras preciosas apenas no dedo anular. Portanto, eu sou o rei de todos".

Finalmente, depois de ouvir todos os argumentos, o polegar riu alto e concluiu a discussão, dizendo: "Nenhum de vocês pode realizar qualquer tarefa sem mim. Portanto, vamos nos unir e trabalhar. Não se pode fazer nenhum trabalho com apenas um dedo. Quando todos os cinco dedos da mão se unem, podemos realizar qualquer tarefa".

De forma semelhante, se as pessoas estiverem divididas, nenhum trabalho poderá ser executado. A unidade é muito importante.


Sai Baba

A Serpente Convertida - Sri Ramakrishna


Uma serpente morava em certo lugar. Ninguém se atrevia a passar por ali, pois todo aquele que o fazia era mortalmente picado no mesmo instante. Certa vez, um Mahatma (homem de alma elevada) passou pelo caminho, e a serpente correu atrás do sábio a fim de mordê-lo.

Quando, porém, a serpente se aproximou do santo homem, perdeu toda a sua ferocidade, e foi dominada pela mansidão do Yogin.

Vendo a serpente, disse o sábio: "Muito bem, amiga, pensas em me morder?"

A serpente envergonhou-se e não respondeu. Então disse o sábio: "Escuta, amiga, não maltrates mais ninguém no futuro". A serpente curvou-se, mostrando que concordava.

O sábio seguiu o seu caminho, e a serpente entrou no seu buraco e, de então para diante, começou a levar uma vida de inocência e pureza, sem se quer tentar maltratar quem quer que fosse. Dentro de poucos dias, toda a vizinhança começou a pensar que a serpente perdera todo o seu veneno e já não era perigosa, e assim todo o mundo passou a persegui-la.

Alguns a apedrejavam outros a arrastavam pela cauda impiedosamente, e, desse modo, não tinham fim os seus padecimentos.

Felizmente, o sábio tornou a passar pela estrada e, vendo como a boa serpente se encontrava ferida e maltratada, sentiu-se muito comovido e indagou-lhe qual fora a causa de tal coisa. Ao que a serpente respondeu: "Santo Senhor, é porque não maltrato mais quem quer que seja, seguindo o vosso conselho. Mas, ai de mim, eles não têm misericórdia!".

Sorrindo, o sábio replicou: "Minha cara amiga, eu simplesmente te disse para não morderes quem quer que fosse, mas não te disse para não amedrontares os outros. Embora não mordas qualquer criatura, podes conservá-las a considerável distância, com o teu silvo".

Mais textos, no site: http://www.cidadaniabrasil.org/

A morte súbita do discípulo de ekido


Esteja alerta. Sinta cada momento como se fosse o último. E existe toda possibilidade de que esse seja o último momento! Assim aproveite-o o máximo. Esprema totalmente os sucos deste momento. Nesta totalidade você estará alerta.


O Mestre Japonês Ekido era um professor rigoroso e seus pupilos o temiam. Um dia, enquanto soava a hora do dia no gongo do templo, um dos alunos esqueceu uma batida porque estava olhando uma bela garota que passava pelos portões. Sem que o aluno soubesse, Ekido estava de pé atrás dele. Ekido golpeou o aluno com seu bastão. O choque parou o coração do aluno, e ele morreu.

Ao ver essa história você pode pensar que o Mestre matou seu discípulo. A coisa não é bem assim. O discípulo ia morrer de qualquer forma, era hora dele morrer. O Mestre sabia disso, ele simplesmente usou o momento da morte para a iluminação do discípulo.

Isso não é dito na história, mas foi assim que ocorreu; senão porque estaria o mestre por trás dele? Não teria ele nada mais para fazer? Mas naquele momento não havia nada que fosse mais significativo, pois esse discípulo ia morrer e sua morte tinha que ser aproveitada.

Essa história é bonita e muito significativa. O discípulo viu uma bela moça passando e perdeu toda a sua consciência. Todo seu ser ficou cheio de desejo – ele queria seguir essa moça, possuí-la. Estava alerta apenas um segundo antes, mas naquele instante não estava mais alerta.

Quando batia no gongo, estava completamente alerta. Isso é parte da meditação num mosteiro Zen – o que quer que você esteja fazendo. Faça isso com total percepção. O que quer que você faça, esteja presente nesse ato como uma luz, e tudo se revelará. Então esse discípulo, na hora da sua morte, estaria alerta e perceptivo, mas a mente interveio e fez a última coisa, seu recurso final – olhou para uma bela garota! Nesse momento, quando o discípulo perdeu a percepção, o mestre o golpeou com força na cabeça.

O mestre estava vendo a morte aproximar-se, invisível, e ele bateu apenas para restaurar a percepção do discípulo. O mestre estava esperando atrás.

Mestres estão sempre esperando por trás dos seus discípulos, seja física ou não-fisicamente – e esse é um dos grandes momentos, quando uma pessoa está prestes a morrer. O Mestre o golpeou com força, o seu corpo caiu, mas por dentro ele voltou a estar alerta. O desejo desapareceu. Tudo caiu junto com o corpo, despedaçado; ele tornou-se alerta. Nesse estado de atenção, ele morreu. E se você puder juntar o estado de atenção com a morte, você se torna iluminado.

Osho

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

A Tigela de Esmolas Mágica


Quando você deseja algo, sua alegria depende disso. Se esta for retirada de você, você se sente miserável. Se for dada a você, você ficará feliz, mas só por uns momentos. Isso também precisa ser compreendido. Sempre que seu desejo é realizado, ele o é apenas naquele momento em que você sente o prazer. É passageiro, pois assim que você conseguir o que queria, sua mente novamente começa a desejar mais, desejar outras coisas.

A mente existe no ato de desejar e, portanto, a mente nunca pode deixá-lo sem desejos. Se você não estiver desejando nada, a mente morre imediatamente. Esse é todo o segredo da meditação.

Um mendigo bate à porta do palácio do imperador de manhã cedo. O imperador estava saindo para passear pelo seu lindo jardim e não havia nenhum guarda com ele para impedir a aproximação do pedinte.

O imperador disse: “O que você quer?” O mendigo respondeu: “Antes de perguntar isso, pense duas vezes!” O imperador nunca tinha visto um homem tão valente. O imperador havia lutado em guerras, obtido vitórias, havia deixado claro que ninguém era mais poderoso do que ele, mas, subitamente, esse pedinte lhe dizia: “Pense duas vezes naquilo que está dizendo, pois você talvez não seja capaz de realizá-lo.”

O rei disse: “Não se preocupe, isso é problema meu. Diga apenas o que quer e será feito!”O mendigo disse: “Você vê minha tigela de esmolas? Quero que ela seja preenchida! Não importa com o quê, a única condição é que ela fique cheia. Você ainda pode dizer não, mas se disser sim, estará correndo um risco.”

O imperador riu. Só uma tigela de esmolas!... e o mendigo pedia para ele ter cuidado? Ele ordenou a seu primeiro-ministro que enchesse a tigela com diamantes, para que esse mendigo soubesse com quem ele estava falando.

O mendigo disse novamente: “Pense duas vezes.” E logo ficou claro que o mendigo estava certo, pois no instante em que os diamantes foram colocados na tigela de esmolas, simplesmente desapareceram!Os boatos se espalharam rapidamente pela região. Milhares de pessoas vieram para ver o fenômeno. Quando as pedras preciosas acabaram, o rei disse: “Tragam todo o ouro e prata, tragam tudo! Todo meu reino, toda minha integridade está em jogo.” Mas no final da tarde tudo havia desaparecido e sobraram somente dois pedintes. Um deles era o imperador.

O imperador disse: “Antes que lhe peça perdão por não ter escutado seu aviso, por favor, me diga o segredo dessa tigela de esmolas.”

O mendigo disse: “Não há nenhum segredo. Eu a poli, fiz com que se parecesse com um prato, mas é um crânio humano. Você pode colocar o que quiser aí dentro que irá desaparecer.”

Essa história é significativa. Você já parou para pensar na sua própria tigela de esmolas? Tudo some: poder, prestígio, respeito, riquezas. Tudo isso desaparece e sua tigela de esmolas continua abrindo a boca e pedindo mais. E esse ‘mais’ o tira daqui. Esse desejo lhe afasta desse momento.

Há somente dois tipos de pessoas no mundo: a maioria corre atrás de sombras e suas tigelas de esmolas permanecerão vazias até que eles entrem em seus túmulos. Uma minoria bem pequena, uma pessoa em cada milhão, pára de correr, põe de lado todos os desejos, não pede mais nada. E subitamente encontra tudo dentro de si.

Osho

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Ilusão


"Nao ha maior cativeiro que a ilusao;
maior força que a disciplina;
maior amiga que a sabedoria;
nem inimigo mais terrivel que o egoismo"
Gheranda Samhita




"Ó Cristo (...)

Grande amante da humanidade desgarrada pelo erro!

Em miríades de corações se têm erguido um invisível monumento ao Supremo Milagre de amor que foram tuas palavras:


'Pai, perdoa-os, pois não sabem o que fazem'.

Retira de nossos olhos as cataratas da ignorância, para que possamos ver a beleza de tua mensagem:


' Ama a teus inimigos como a ti mesmo, pois ainda que tenham a mente enferma, ou estejam adormecidos no erro, são, também, teus irmãos.'

Paramahansa Yogananda
("Sussuros De La Madre Eterna")


"[Ó Espírito] faz-me transparente de pureza
e que se manifeste Tua reconfortante luz dentro de mim.
Aquieta o incessante movimento
do espelho de minha mente
para que eu veja o reflexo de Teu rosto infinito."

"Recolha o leite da paz de Deus no balde do silêncio e da meditação,"
dizia ele, "e, então, tenha muito cuidado para não derramá-lo por meio da conversa fútil e da inquietude".


OM TAT SAT OM

domingo, 1 de fevereiro de 2009

Amado PABLO NERUDA


Morre lentamente

Morre lentamente quem se transforma em escravo do hábito, repetindo todos os dias os mesmos trajectos, quem não muda de marca, não se arrisca a vestir uma nova cor ou não conversa com quem não conhece.
Morre lentamente quem faz da televisão o seu guru.
Morre lentamente quem evita uma paixão, quem prefere o negro sobre o branco e os pontos sobre os “is” em detrimento de um redemoinho de emoções, justamente as que resgatam o brilho dos olhos, sorrisos dos bocejos, corações aos tropeços e sentimentos.
Morre lentamente quem não vira a mesa quando está infeliz com o seu trabalho, quem não arrisca o certo pelo incerto para ir atrás de um sonho, quem não se permite pelo menos uma vez na vida, fugir dos conselhos sensatos.
Morre lentamente quem não viaja, quem não lê, quem não ouve música, quem não encontra graça em si mesmo.
Morre lentamente quem destrói o seu amor-próprio, quem não se deixa ajudar.
Morre lentamente, quem passa os dias queixando-se da sua má sorte ou da chuva incessante.
Morre lentamente, quem abandona um projecto antes de iniciá-lo, não pergunta sobre um assunto que desconhece ou não responde quando lhe indagam sobre algo que sabe.
Evitemos a morte em doses suaves, recordando sempre que estar vivo exige um esforço muito maior que o simples facto de respirar.
Somente a perseverança fará com que conquistemos um estágio esplêndido de felicidade.
...
aquele vento que não cabe em si
e nem na palma da mão que ousa pegar o que é para todos nós!
...


Se não puderes ser um pinheiro, no topo de uma colina,
Sê um arbusto no vale mas sê
O melhor arbusto à margem do regato.
Sê um ramo, se não puderes ser uma árvore.
Se não puderes ser um ramo, sê um pouco de relva
E dá alegria a algum caminho.
Se não puderes ser uma estrada,
Sê apenas uma senda,
Se não puderes ser o Sol, sê uma estrela.
...
Não é pelo tamanho que terás êxito ou fracasso...
Mas sê o melhor no que quer que sejas.
...
Quero apenas cinco coisas...
Primeiro é o amor sem fim
A segunda é ver o outono
A terceira é o grave inverno
Em quarto lugar o verão
A quinta coisa são teus olhos
Não quero dormir sem teus olhos.
Não quero ser... sem que me olhes.

Abro mão da primavera para que continues me olhando.
...
Dois amantes felizes não têm fim nem morte,
nascem e morrem tanta vez enquanto vivem,
são eternos como é a natureza.
...
Te amo, beijo em tua boca a alegria.

Pablo Neruda