Recorda desde a divina matriz o real propósito a que vens AQUI e pelo qual AGORA te manifestas!

Enquanto um diz: Namastê, te saúdo e te reconheço como a sagrada divindade. Em outro lugar, o outro pulsa: In lake´sh, eu sou o outro em você a serviço planetário da compreensão, da aceitação, da cura, da libertação e da realização.

Aquele que tudo vê, nos inspira e responde: "Com visão e esperança danço e canto para o coração divino." Acredito que assim nasce o puro, verdadeiro e divino AMOR, nossa responsabilidade básica.

Aqui e agora é tudo que existe de ETERNO. Respiro e sinto o que simplesmente É e dentro dessa Eternidade, a lembrança IMORTAL: SOMOS UM na Divina Presença.

Seja uno com cada ser-elemento manifesto e a gratidão lhe conecta na fonte de amor e alegria infinita, paz e compaixão infinita, paciência e tolerância infinita.

No espelho do ser, o reflexo D´eus. A união do Todo se traduz num som... OM... AMEM... silêncio!

OM TAT SAT OM...

sábado, 27 de dezembro de 2008

Fita Azul

Madhuram Madhuram Madhuram
Akhilam Madhuram

"Que a doçura de Venu Gopal
impregne todos os átomos do Universo"



Agradeço à querida flor Giza que me encaminhou esta linda mensagem! Esta lá em baixo

...

Difícil foi sorrir ao fim da mensagem, pois meus olhos em lágrimas e meu coração dissolvido em gratidão, dizendo a mim sobre uma vida da longa jornada, em que cada pessoa faz a diferença pra mim e faz ser o que sou, me auxiliando a crescer em algum aspecto.

Por escolha pessoal, resolvi passar os dias de Natal "sozinha" na praia, peguei o carro e segui sem um rumo certo, deixando-me ser guiada e assim foi. Por fim, senti que chegara onde tinha que estar e fiquei numa linda praia no camping "Recanto dos Pássaros" =) a uns 500 metros perto do mar. Ah!!! Como tudo é uma benção!

Foram 3 dias pra me apronfudar na plenitude do SER no contato comigo e com o Supremo; dias de muita paz, silêncio, alegrias internas de serena felicidade, onde pude me perceber tão UNA ao UNI-VERSO e sabendo que tudo acontece como tem que ser, sempre!

Nesses dias refleti muito sobre o espírito de Natal perdido nas mesas fartas de comida e no desvairado consumo de oferendas de "presentes materias" e obrigações tais que tanto se distanciam da união familiar.

Muitas mensagens recebi nesses dias também em sonhos.... Sonhei com meu irmão na noite de natal e na noite seguinte com meu pai, e no dia 25 andando na praia uma linda e fofa senhora da Paraíba chamada Maria me deu um delicioso abraço no qual senti a presença da minha amada mãe que partiu desta terra tão "cedo" segundo "meus" critérios e apegos humanos.

Foram 3 eternos dias em que me vi doando e recebendo tanta energia boa e onde justamente recebi muitas fitas azuis de pessoas-anjos "desconhecidas" que também fizeram a diferença pelos presentes que me deram: sorrisos, abraços, brilho no olhar, beijinho no rosto, conversas e silêncios...etc... TUDO COMO EXPRESSÃSO DO PURO E SINCERO AMOR que quero em todas as minhas relações!... OM...

=)

provavelmente neste momento em que tu lês esta mensagem, as datas ditas de Natal e Ano Novo já passaram, mas sabemos nós que todo o dia é o nascimento da consciência crística em cada um de nós e que todo o dia é uma nova vida renascendo... om... Mais um novo dia, novo ano, nova vida! FELICIDADES!!!!

Também sonhei com meu mestre, amém por todas as bençãos recebidas!!! E ainda recebi estas lindas mensagens.... Agradeço, agradeço, agradeço!!!!

Como disse Jesus: "Vós sois a luz do mundo"... NÓS SOMOS SIM A LUZ DO MUNDO!

E...

"Nós precisamos saber que fomos criados para coisas maiores, não apenas para ser mais um número no mundo, não só para receber diplomas e títulos, para este ou aquele trabalho. " Madre Teresa de Calcutá
é isso!!! tudo isso e nada disso!!!

com amor
beijos
ka

-----------------------------------------------------------------------------------------------

Fita azul

Leia por favor..é mto interessante,pois vc faz a diferença para mim...


FAZER A DIFERENÇA.

Uma professora de determinado colégio decidiu homenagear cada um dos seus formandos dizendo-lhes da diferença que tinham feito em sua vida de mestra. Chamou um de cada vez à frente. Começou dizendo a cada um a diferença que tinham feito para ela e para os outros da turma.Então deu a cada um uma fita azul, gravada com letras douradas que diziam: 'Quem Eu Sou, Faz a Diferença'.

Mais adiante, resolveu propor um Projeto para a turma, para que pudessem ver o impacto que o reconhecimento positivo pode ter sobre uma comunidade.Deu a cada aluno mais três fitas azuis, com os mesmos dizeres, e os orientou a entregarem as fitas para as pessoas que conheciam e que achavam que desempenhavam um papel diferente. Mas que deveriam acompanhar os resultados para ver quem homenagearia quem, e informar esses resultados à classe ao fim de uma semana.

Um dos alunos procurou um Office boy de uma empresa próxima, e o homenageou por um dia tê-lo ajudado. Deu-lhe uma fita azul, pregando-a em sua camisa. Feito isso, deu-lhe as outras duas fitas dizendo: 'Estamos desenvolvendo um projeto na escola sobre reconhecimento, e gostaria que você escolhesse alguém para homenagear, entregando-lhe uma fita azul, e mais outra, para que ela, por sua vez, também possa homenagear a uma outra pessoa, e manter este processo vivo. Mas depois, por favor, me conte o que perceber ter acontecido.'

Mais tarde, naquele dia, o Office boy procurou seu chefe, que era conhecido, por sinal, como uma pessoa de difícil trato. Fez seu chefe sentar, disse-lhe que o admirava muito por ser um gênio criativo. O chefe pareceu ficar muito surpreso. O subalterno perguntou a ele se aceitaria uma fita azul e se lhe permitiria colocá-la nele. O chefe surpreso disse: 'É claro.' Afixando a fita no bolso da lapela, bem acima do coração, o Office boy deu-lhe mais uma fita azul igual e pediu: 'Leve esta outra fita e passe-a a alguém que você também admira muito.' E explicou sobre o projeto de classe do menino que havia dado a fita a ele próprio.

No final do dia, quando o chefe chegou a sua casa, chamou seu filho de 14 anos e o fez sentar-se diante dele. E disse: 'A coisa mais incrível me aconteceu hoje. Eu estava na minha sala e um dos Office boys subalternos veio e me deu uma fita azul pelo meu gênio criativo. Imagine só! Ele acha que sou um gênio! Então me colocou esta fita que diz que 'Quem Eu Sou Faz a Diferença'. Deu-me uma fita a mais pedindo que eu escolhesse alguma outra pessoa que eu achasse merecedora de igual reconhecimento.Quando vinha para casa, enquanto dirigia, fiquei pensando em quem eu escolheria e pensei em você'.

Gostaria de homenageá-lo. Meus dias são muito caóticos e quando chego em casa, não dou muita atenção a você. As vezes grito com você por não conseguir notas melhores na escola, e por seu quarto estar sempre uma bagunça. Mas por alguma razão, hoje, agora, me deu vontade de tê-lo à minha frente. Sabe, simplesmente, para dizer a você, que você faz uma grande diferença para mim. Além de sua mãe, você é a pessoa mais importante da minha vida. Você é um grande garoto filho, e eu te amo!'

O menino, pego de surpresa, desandou a chorar convulsivamente sem parar. Ele olhou seu pai e falou entre lágrimas: 'Pai, poucas horas atrás eu estava no meu quarto e escrevi uma carta de despedida endereçada a você e à mamãe, explicando porque havia decidido me suicidar e lhes pedindo perdão'. Pretendia me matar enquanto vocês dormiam. Achei que vocês não se importavam comigo. A carta está lá em cima, mas acho que não vou mais precisar dela.

O pai foi lá em cima e encontrou uma carta cheia de angústia e de dor. O homem foi para o trabalho no dia seguinte completamente mudado. Ele não era mais ranzinza e fez questão de que cada um dos seus subordinados soubesse a diferença que cada um fazia.

O Office boy que deu origem a isso ajudou muitos outros e nunca esqueceu de lhes dizer que cada um havia feito uma diferença em sua vida... A conseqüência desse projeto é que cada um dos alunos que participou dele aprendeu uma grande lição.

De que 'Quem Você É Faz sim, uma Grande Diferença'.

Você não precisa passar isso adiante para ninguém... Nem para duas nem para duzentas pessoas. Continue a sua vida como você acha que está bom para você.

Por outro lado, se quiser, pode enviar para aquelas pessoas que significaram ou significam algo para você, sejam quantas forem. Ou por outro lado, simplesmente sorria enquanto lê pois estou lhe mandando isso porque você é importante para mim.

Quem você é na minha vida, faz muita diferença, e eu queria que você soubesse disso.

Eis a sua fita azul!



-- 3öGisa Chandra3ö
SOMOS UM-TODO CORAÇÃO com gratidão eterna e amor sincero...
WE ARE ONE-ALL HEART with eternal gratitude and sincere love...
BLOG: http://eternoimortal.blogspot.com/ link: Uma Viagem chamada Índia

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

FELIZ Natal REAL... Nascimento da Consciência Crística, hoje e sempre!!!

"Não ajunteis para vós tesouros na terra,

onde a ferrugem e as traças corroem,

onde os ladrões furtam e roubam.

Ajuntai para vós tesouros no céu,

onde não os consomem
nem as traças nem a ferrugem,

e os ladrões não furtam nem roubam.

Porque onde está o teu tesouro,
lá também está teu coração. "Jesus Cristo


O SONHO

COMANDA A VIDA !

E SEMPRE

QUE O HOMEM SONHA,

O MUNDO

PULA E AVANÇA …

COMO BOLA COLORIDA
ENTRE AS MÃOS


DE UMA CRIANÇA …


AMEM...

quinta-feira, 18 de dezembro de 2008

OM

"O Yoga, esse complexo e profundo mapa do ser humano, dá-nos diversos indicativos de como chegarmos à nossa essência, ao Ser. De acordo com os Vedas, o Ser permeia tudo, é criador e criatura ao mesmo tempo. Em nós, indica os Vedas, esse Ser, ou essa essência universal, reside no coração: “Dentro do coração, em uma pequena cavidade, repousa o universo”.
Mahanarayana Upanishad.

Respira-ação....


As atividades: "A Dança é uma meditação em movimento, um caminhar para o silêncio, onde cada movimento se torna uma ORAÇÃO"
Bernhard Wosien

"Deixo livre todas as coisas que amo... Se voltarem, foi porque as cativei... Senão, foi porque nunca as tive. De repente se aprende que não se prende pássaros e nem corações e que, para estarmos juntos, não é preciso estar ao lado, mas do lado de dentro." - Antoine de Saint Exupéry

"Todas as forças do Universo estão atrás de você, atuando harmonicamente para ajudar no seu progresso, bastando apenas que queira enfrentrar a VERDADE.Desça ao mais profundo do seu ser, e verá que é forte. Chegue até o fundo da sua natureza. Ali descobrirá que é sincero em seu esforço espiritual.Somos arquitetos do nosso destino. As coisas exteriores são como setas que geralmente acabam por nos ferir a alma. Faça do seu interior a sua verdadeira morada. Faça de si mesmo o seu próprio Guru."

sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

Felicidade





1 - Felicidade - Paramahansa Yogananda
2 - Frases e Reflexões de Madre Tereza de Calcutá.
3 - A Felicidade (pequeno estudo)

* * *

Felicidade - Paramahansa Yogananda

Lembre-se de que quando você está infeliz é geralmente porque não visualiza claramente as grandes coisas que decididamente deseja realizar na vida, e também porque não usa, com a perseverança necessária, a sua força de vontade, a sua habilidade criativa e a sua paciência, até que os seus sonhos sejam materializados.

Não pense que uma pequena alegria no silêncio é suficiente. Alegria é mais do que isso. Por exemplo, imagine que você está sendo punido, não lhe sendo permitido dormir quando está desesperadamente necessitado de descanso; e de repente alguém diz: "Está bem, pode dormir agora". Pense na alegria que você sentiria no momento em que estivesse entrando no sono. Multiplique isto por um milhão! Nem mesmo isto descreveria a alegria sentida na comunhão com Deus.


O riso do Deus infinito deve vibrar através do seu sorriso. Deixe que a brisa do Seu amor espalhe seus sorrisos nos corações dos homens. O seu fervor será contagioso.

Buscarei diariamente a felicidade cada vez mais dentro da minha mente e cada vez menos nos prazeres materiais.


A felicidade depende até certo ponto de condições externas, mas principalmente de atitudes mentais. Para ser feliz é preciso ter boa saúde, uma mente equilibrada, uma vida próspera, o trabalho certo, um coração agradecido e, acima de tudo, sabedoria ou conhecimento de Deus.


Você tem o poder de se ferir ou de se beneficiar. Se você não decide ser feliz, ninguém poderá fazê-lo feliz. Não culpe Deus por isto! E se decide ser feliz, ninguém poderá fazê-lo infeliz... Somos nós que fazemos da vida o que ela é.

A verdadeira felicidade vem somente quando a sua vontade, guiada pelodiscernimento da alma, escolher o bem ao invés do mal, a qualquer momento, em qualquer lugar, porque na verdade você quer o bem pelo bem. Então você será realmente livre.


Em vez de estar sempre esforçando-se por obter a felicidade pessoal, tente fazer os outros felizes. Servindo aos outros espiritual, mental e materialmente, você verá as suas próprias necessidades satisfeitas. Ao esquecer-se de si próprio no serviço aos outros, você verá que, sem procurar, a sua própria taça da felicidade estará cheia.


‘’A grande sabedoria é amar ao próximo. Através dele é que chegamos a Deus. Sejamos silenciosos diante do próximo, ouvindo-o; pacíficos, aceitando-o. Não exijamos nada deles, mas muito de nós a fim de podermos servi-los. Essa é a chave da felicidade.’’




Frases e Reflexões de Madre Tereza de Calcutá.

Sobre o propósito da vida
Você sabe o que quer da vida? Talvez ache que não tenha nenhum talento que valha a pena desenvolver. Mas todo mundo tem algum de especial.
Vejamos o que Madre Teresa pensa a respeito:

“Onde quer que Deus o tenha colocado, essa é a sua vocação.
Não é o que fazemos, mas o amor com que o fazemos que conta.” (Madre Tereza de Calcutá)

Uma vez pedi um conselho a meu confessor sobre a minha vocação. Perguntei:
“Como posso saber se Deus está me chamando e para que Ele está me chamando?”

Ele me respondeu: “Você saberá por intermédio de sua felicidade. Se estiver feliz com a idéia de que Deus a chama para servi-Lo e a seu próximo, essa será a prova de sua vocação. O contentamento profundo do coração é como um imã que indica a estrada da vida. É preciso seguí-lo, ainda que você entre em um caminho cheio de dificuldades.” (Madre Tereza de Calcutá)


O amor de Deus
“Deus ama o mundo por intermédio de nós”
(Madre Tereza de Calcutá)

Para resistir às tempestades da Vida
“A Providência sempre vem em nosso auxílio.
Quando a necessidade é imediata, a intervenção da Providência é sempre imediata.
Nem sempre é uma questão de grandes quantias, mas é necessário para momento.” (Madre Tereza de Calcutá)

Para não se sentir entediado da vida
Você não é obrigado a vencer, mas é obrigado a ser verdadeiro. Não é obrigado a ser bem-sucedido, mas é obrigado a viver segundo o que tiver. (Pensamento de Abrahm Lincon)
Diante dessa verdade Madre Teresa apresenta uma solução simples:

“Preencha o seu coração até ele ser capaz de conter o dom de Deus em Si mesmo.” (Madre Tereza de Calcutá)

Faça o melhor que puder
“O que você faz, eu não posso fazer.
O que eu faço, você não pode fazer.
Mas juntos eu e você podemos fazer alguma coisa grande.”
(Madre Tereza de Calcutá)

“Se não pudermos fazer grandes coisas – façamos com grande amor as pequenas coisas.” (Madre Tereza de Calcutá)

Vivendo com equilíbrio
“O meu segredo é muito simples. Eu rezo.” (Madre Tereza de Calcutá)

Construindo a Vida
“Não precisamos realizar grandes obras afim de mostrarmos um grande amor por Deus e pelo próximo. É a intensidade do amor que colocamos em nossos gestos que os torna algo especial para Deus e para os homens.” (Madre Tereza de Calcutá)

Entregue seu coração ao que realmente importa.
“Acredito que uma pessoa que se prende a riquezas, que vive preocupada com riquezas, é na verdade muito pobre.”
(Madre Tereza de Calcutá)

Provérbios 22:1 Um bom nome é mais desejável do que grandes riquezas; ser estimado é melhor do que prata e ouro.

Lidar com a riqueza
“Está nas mãos de Deus dar ou retirar, portanto, partilhe o que você recebeu e isso inclui você mesmo.” (Madre Tereza de Calcutá)

Para ser feliz
“Um coração feliz é o resultado inevitável de um coração ardente de amor.” (Madre Tereza de Calcutá)

Parte de sua História.

Nasceu para os pobres
Madre Teresa nasceu no sul da antiga Iugoslávia em 1910, foi batizado com o nome de Agnes Gonxha Bojaxhiu, filha de Nicolau e de Rosa. Pouco se sabe sobre sua infância. Na adolescência se destacava pela bela voz e logo se converteu na solista do coro da igreja local. Freqüentou a escola estatal depois ingressou na Congregação Mariana. Desde cedo já se mostrava preocupada com a miséria material e espiritual de tanta gente. O seu sonho era o trabalho missionário junto dos pobres na Índia..


Sua luta
Quando os pobres de Calcutá morriam durante a noite pelas ruas, na manhã seguinte eram jogados no carro da limpeza como se fossem lixo. Ela não conseguia habituar-se a esse terrível espetáculo, ela não aceitava ver as pessoas morrendo de fome ou pedindo esmola pelas ruas. Aos poucos com persistência, sua causa ganhou o apoio do Arcebispo e de sua Madre Superiora. Naturalizou-se indiana. Depois de abandonado o hábito da Congregação, a Irmã Teresa comprou um sari branco, debruado de azul e colocou-lhe no ombro uma pequena cruz. Este era seu novo hábito, estava vestida como uma mullher indiana.

Começou dando escola as crianças pobres, lições de higiene e de moral. Distribuía aos pobres donativos e palavras amigas. Sua fama espalhou-se rapidamente, a ponto de ser prontamente conhecida onde quer que fosse.

Tudo no início foi muito difícil. Mas sua coragem e persistência abriam-lhe portas.

Cuidando dos moribundos
O primeiro trabalho com os doentes e moribundos recolhidos na rua era lavar-lhes o rosto e o corpo. A maior parte deles nem sabia o que era sabão e a espuma.

“Nós queremos que eles saibam que há pessoas que os amam verdadeiramente. Aqui eles encontram a sua dignidade de homens e morrem num silêncio impressionante... Deus ama o silêncio.” (Madre Teresa)

“Os pobres não merecem só que os sirvamos, merecem também a alegria e as Irmãs oferecem-na em abundância.” (Madre Teresa)


A Felicidade (pequeno estudo)

Todos os homens, sem exceção, desejam ter uma vida feliz e se esforçam para conquistá-la. Alcançar a liberdade e a igualdade significa, em última análise, viver uma vida feliz. Muitas guerras foram travadas com esse propósito. Até parece que toda a história humana é a história da luta pela conquista da felicidade. Todos os nossos projetos dirigem-se para esse objetivo, todas as nossas energias são despendidas para alcançá-lo. Parece que a felicidade é o objetivo último da vida.

Vamos examinar o que é essa felicidade que todos nós buscamos, e o caminho que procuramos para conquistá-la.O que é a felicidade? Precisamos conhecer com clareza o objetivo da nossa busca. Se não o conhecemos, nossos esforços talvez sejam em vão.

Os antigos gregos pensavam que a felicidade era o bem. Mas, na Idade Média e na Idade Moderna, o significado formal de Aristóteles – o bem é a felicidade – foi alterado para o significado mais materialista de que a felicidade é o prazer ou a ausência de dor. John Stuart Mill, em sua obra O Utilitarismo, afirma: "Por felicidade, entende-se o prazer e a ausência da dor; por infelicidade, a dor e a ausência de prazer".Stuart Mill estabelece diferenças qualitativas para o prazer. John Dewey faz distinção entre felicidade e prazer, afirmando que a felicidade é permanente e universal, um sentimento do ser como um todo, enquanto que o prazer seria transitório e relativo, um sentimento de alguns aspectos do ser. Aristóteles afirma que o bem do homem – a felicidade – é uma atividade da alma de acordo com a virtude; ou, se houver mais de uma virtude, então a felicidade estará de acordo com a melhor e mais perfeita virtude.

Já Spinoza afirma que a felicidade não é o prêmio da virtude, mas sim a própria virtude.Em sânscrito, a felicidade é chamada de sukha. A sukha inclui tanto o estado relativamente estático a que damos o nome de felicidade quanto a momentos conscientes desse estado, ao qual nossa psicologia se refere como um sentimento prazeroso ou agradável. A sukha aplica-se igualmente à saúde física, ao bem-estar material e à beatitude espiritual.O budismo divide em três o sentimento: sukha, felicidade; dukha, dor;e adukhamasukha, sentimento neutro.

O sentimento neutro é idêntico à felicidade – ou seja, à felicidade do tipo mais sutil. Aos prazeres e à felicidade que têm origem nos cinco sentidos, chamamos de felicidade dos desejos mundanos. A espécie mais sutil de alegria surge em conexão com a prática do dhyana (meditação).No último estágio do dhyana, todos os sentimentos positivos, alegria ou melancolia, fundem-se no sentimento neutro ou indiferença; a perfeita clareza da mente é alcançada e a ignorância é banida, de modo que a consciência fica em estado de completa equanimidade e clareza mental.

Sidgwick afirma que a felicidade budista é um hedonismo universal, porque ela não é egoísta nem altruísta. A missão de Buda não era apenas superar a dificuldade, mas também alcançar o bem e a felicidade de todos os seres: trazer felicidade para si mesmo e para os outros. No budismo, o esforço em direção a um objetivo é felicidade – em contraposição aos ascetas hindus que tudo sacrificam por um objetivo.Vamos agora trazer este tema para o nosso dia-a-dia. Alcançamos a felicidade de muitas maneiras na nossa vida diária. No entanto, podemos dividi-la em três categorias: a felicidade física, a material e a espiritual. Por física, quero dizer que a pessoa é feliz porque é saudável, simpática ou bonita.

Em termos materiais, ela é feliz porque é rica, mora numa boa casa, tem um belo carro, muitas roupas, jóias e uma despensa bem abastecida. A felicidade mental ou espiritual está na amizade e no amor. A felicidade é criada quando a pessoa recebe honras, louvores, simpatia, conforto, etc.Estas condições de felicidade dependem de causas externas. A felicidade é alcançada pela posse de alguma coisa ou pelo recebimento de alguma coisa. Portanto, quando a causa da felicidade deixa de existir ou é destruída, a felicidade também desaparece. Ela está além do nosso controle.

Vejamos alguns exemplos. A sua felicidade física: você é jovem e bonito, é simpático, tem boa saúde e é forte. Com efeito, você é feliz e grato por isso. Mas, vamos supor que você sofre um acidente e fica aleijado, ou doente; a sua felicidade não pode mais depender da sua saúde. E á claro que, com o passar dos anos, sua beleza e vigor irão se desvanecer. Portanto, não se pode depender dasaúde, da beleza e do vigor para a felicidade verdadeira e eterna, embora estes sejam fatores importantes da nossa felicidade.

Devemos alcançar uma outra felicidade que não a física, a fim de podermos desfrutar a vida e ser felizes e gratos, mesmo que estejamos doentes, velhos ou aleijados.Kenkô, famoso monge budista e autor de Tsurezuregusa, disse certa vez:"não vale a pena termos um amigo que nunca experimentou a doença". Uma pessoa saudável, que nunca esteve doente, não compreende o verdadeiro sentido da compaixão e da bondade. Uma pessoa assim tão saudável tende a tornar-se obstinada e a criar atrito e discórdia.

Num caso desses, a saúde não é uma fonte de felicidade, mas sim de problemas. Também é evidente que a felicidade material é incerta e duvidosa. Nesta nossa época regida pelo culto à riqueza, o dinheiro é tudo. As pessoas acreditam que o "onipotente cifrão" pode comprar tudo e todos. Na verdade, o dinheiro é muito importante neste nosso mundo tão consciente dos valores monetários. Mas a felicidade que é comprada com dinheiro irá se dissolver quando o dinheiro acabar. O dinheiro trás felicidade, sim, mas ao mesmo tempo traz miséria. Logo, o dinheiro mão é o caminho para a felicidade. Um belo carro, uma boa casa, boa comida, roupas finas e outros pertences estão na mesma categoria.Estas coisas são importantes e trazem felicidade, mas são duvidosas e incertas; e muitas vezes, trazem o sofrimento através da destruição, do roubo ou da inveja.

Tampouco podemos depender da felicidade trazida pelo amor, pela amizade, pela simpatia e pela bondade dos amigos, pois o amor freqüentemente se transforma em ódio e os amigos em inimigos, já que todas essas coisas são relativas. A felicidade trazida por meios físicos, materiais e mentais é alcançada através de causas externas. E é exatamente por isso que não se pode depender dela.Devemos, portanto, procurar as causas internas da felicidade, não suas causas externas.O budismo nos ensina a olhar o âmago das coisas, em vez de olhar à volta delas. Devemos olhar para o interior de nós mesmos, a fim de vermos o que cria a felicidade.

Por exemplo, ser amado é felicidade, mas amar também é felicidade. É fonte de felicidade receber-se alguma coisa; mas também dar e compartilhar é felicidade. A felicidade do doador é mais rica e permanente que a do receptor. No espírito do verdadeiro dar, compartilhar e amar, não há limites. A felicidade é o próprio amar e compartilhar, não necessariamente seu resultado. A verdadeira satisfação do trabalho é o próprio ato de trabalhar, não o resultado do trabalho. A verdadeira felicidade não é aquela que recebemos de fora, mas sim aquela que é criada dentro de nós.

O homem moderno em geral é um "buscador de resultados". Sua atitude é a de fazer alguma coisa se esta lhe trouxer algum benefício; pois, se não obtiver lucro, de que adianta fazer alguma coisa? Os buscadores de resultados são os buscadores de lucro. Em outras palavras, o homem moderno pensa que o fim é mais importante que os meios. Alguém disse que duas ideologias modernas estão representadas por Stálin e Gandhi: o caminho de Gandhi é que os meios são tão importantes quanto o fim, enquanto, para Stálin, o fim é tão importante que justifica os meios.Os budistas aprendem que todos os passos e todos os meios são muito importantes. Cada meio é, em si, um fim.

Para o artista, o músico e o escultor, o trabalho em si é prazer e felicidade; mas, para aquele que só pensa em dinheiro, o trabalho nada mais é que um meio de ganhar dinheiro. Trabalho significa dor e sofrimento; o sofrimento precisa ser compensado gastando dinheiro: esta é a vida moderna. Sinto muita pena das pessoas que vivem esse tipo de vida. A pessoa mais feliz e afortunada é aquela que gosta de seu trabalho, além de ganhar dinheiro com ele.

O verdadeiro caminho para a felicidade é a percepção da nossa própria vida. É o desabrochar do ser como um todo. O verdadeiro caminho para a felicidade está no dar, não na felicidade do receber. Precisamos encontrar o caminho do amar, não o de sermos amados. A vida do eterno dar, amar, compartilhar e apreciar o trabalho é sempre criativa e infinita, enquanto os outros caminhos para a felicidade levam a fracassos e desapontamentos. A verdadeira felicidade não nos é dada – nós a criamos. Se você é infeliz, não culpe os outros ou o meio ambiente. É a sua mente, a sua atitude, que o fazem sentir-se miserável. Pode ser útil mudar de casa ou de emprego, mas essa não é a cura completa para o seu problema e a sua infelicidade.

A atitude correta e uma mente clara e correta são o caminho para a felicidade.

"Se dois homens vêm andando por uma estrada, cada um carregando um pão, e,ao se encontrarem, eles trocam os pães, cada homem vai embora com um ...porém, se dois homens vêm andando por uma estrada cada um carregando umaidéia, e, ao se encontrarem, eles trocam as idéias, cada homem vai emboracom duas..."

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Kabir, grande sábio




Uma canção do místico Kabir:

Converso com meu amor interior e digo, por que tanta pressa?

Sentimos que há algum tipo de espírito que ama os pássaros, os animais e as formigas – talvez o mesmo que lhe deu uma centelha no útero de sua mãe. Você acha lógico estar andando inteiramente órfão agora?

A verdade é que você mesmo afastou-se e decidiu ir sozinho para a escuridão. Agora está emaranhado em outros e esqueceu o que uma vez sabia, e é por isso que tudo que você faz tem em si algum tipo de falha estranha. As coisas acontecem quando precisam acontecer. As coisas estão destinadas a acontecer no momento necessário. Tudo está indo bem – basta confiar.

Lembre-se da diferença.

O teólogo dirá: “Acredite no conceito de Deus.” O místico diz que não há necessidade de acreditar no conceito de Deus, apenas sentir a harmonia na existência. Isso não é um conceito, não é uma crença, é possível senti-lo, está em toda parte. É quase tangível.

No momento em que você acredita ser um com o todo, há um relaxamento, subitamente há um fluir acontece, você não precisa se controlar, você pode relaxar. Não há necessidade de ficar tenso, porque não há nenhuma meta pessoal a ser atingida por você.

Você flui com Deus. O objetivo de Deus é o seu objetivo, o destino dele é o seu.Você não tem um destino privado – é esse destino privado que traz problemas. Você não percebeu isso na sua própria vida? Tudo aquilo que você faz resulta em fracasso. Você ainda não conseguiu entender – você acredita que não fez as coisa da forma correta e por isso fracassou.

Então tenta um outro projeto e fracassa novamente. Nessa hora você acha que suas habilidades não são boas o bastante, então parte para melhorar suas habilidade e fracassa novamente. Depois você pensa “O mundo inteiro está contra mim” ou “O destino está contra mim”, ou ainda “Sou uma vítima da inveja dos outros”. Você continuará encontrando explicações para seus fracassos, mas nunca irá compreender os motivos reais.

Kabir diz: o fracasso significa você-menos-Deus. Esse é o entendimento de Kabir. O fracasso é igual a você-menos-Deus, e o sucesso é igual a você-mais-Deus. O sucesso está dentro de Deus e com Deus. E, lembre-se, quando digo “Deus” não estou falando de uma pessoa sentada em algum paraíso, mas do espírito cósmico, do Tao, da lei que permeia toda a existência.

A lei a partir da qual você nasceu e para a qual um dia irá retornar.

OM TAT SAT

terça-feira, 28 de outubro de 2008

Uma história sobre...A SIMPLICIDADE


O filho duma pobre viúva tinha que atravessar todos os dias um bosque solitário para ir à escola.

O menino tinha medo de atravessar sozinho. Pediu à mãe que pagasse a um criado para o acompanhar. A mãe,que era muito pobre e não podia pagar, disse-lhe que pedisse ele a seu irmão Krishna que o acompanhasse.

Krishna é considerado o Senhor da Selva. O menino assim o fez. Um dia após outro, Krishna acompanhava o menino nas idas e vindas da escola.

Um dia em que se homenageava o mestre, todos os meninos deviam levar-lhe algum presente.

A viúva disse ao filho que não podia dar nenhum presente, que pedisse a Krishna. O menino assim fez. Krishna deu-lhe um jarro de leite para levar ao mestre.

Quando todos os meninos entregavam os seus presentes, o menino pobre via que o mestre não dava atenção aopresente que ele tinha levado, e pedia ao mestre que o aceitasse.

Como não era atendido, o menino insistia uma e outra vez.

Por fim, o mestre disse ao ajudante:
- Recolhe o leite e devolve o jarro ao menino para que não insista mais.

Quando o ajudante esvaziou o leite para outro recipiente, notou que o jarro ficava de novo cheio de leite.Uma e outra vez fez a mesma operação e o jarro tomava a encher-se.

Então o mestre, assombrado, perguntou ao menino quem lhe tinha dado o leite. O menino respondeu muito simples e naturalmente que tinha sido Krishna, que todos os dias o acompanhavamna ida e na vinda da escola.

O mestre pediu ao menino que o levasse a ver esse tal Krishna. O menino, acompanhado pelo mestre e companheiros, foi até à entrada do bosque, onde todos os dias oesperava Krishna. Mas ele não estava lá. O menino chamou-o uma e outra vez, mas ele não aparecia.

Os companheiros riram-se dele, e o menino chorando rogou a Krishna que viesse.
Por fim, Krishna falou-lhe ao ouvido:
- Não apareço porque ao teu mestre falta a simplicidade para acreditar.

A nossa vida deveria ser um constante milagre. Mas falta-nos humildade para acreditar no princípio da simplicidade que rege a vida, no que é a Vida. Não será muito difícil saber porque muitas vezes não temos ninguém para nos ajudar atravessar a bosque ou a selva da vida neste mundo.

OM TAT SAT

O Silêncio


Nós os índios, conhecemos o silêncio.
Não temos medo dele.
Na verdade, para nós ele é mais poderoso do que as palavras.

Nossos ancestrais foram educados nas maneiras do silêncio e eles
nos transmitiram esse conhecimento.

"Observa, escuta, e logo atua", nos diziam.

Esta é a maneira correta de viver.

Observa os animais para ver como cuidam se seus filhotes.

Observa os anciões para ver como se comportam.

Observa o homem branco para ver o que querem.

Sempre observa primeiro, com o coração e a mente quietos, e então aprenderás.

Quanto tiveres observado o suficiente, então poderás atuar.

Com vocês, brancos, é ao contrário.

Vocês aprendem falando.

Dão prêmios às crianças que falam mais na escola.

Em suas festas, todos tratam de falar.

No trabalho estão sempre tendo reuniões nas quais todos interrompem a todos, e todos falam cinco, dez, cem vezes.

E chamam isso de "resolver um problema".

Quando estão numa habitação e há silêncio, ficam nervosos.

Precisam preencher o espaço com sons.

Então, falam compulsivamente, mesmo antes de saber o que vão dizer.

Vocês gostam de discutir.

Nem sequer permitem que o outro termine uma frase.

Sempre interrompem.

Para nós isso é muito desrespeitoso e muito estúpido, inclusive.

Se começas a falar, eu não vou te interromper.

Te escutarei.

Talvez deixe de escutá-lo se não gostar do que estás dizendo.

Mas não vou interromper-te.

Quando terminares, tomarei minha decisão sobre o que disseste, mas não te direi se não estou de acordo, a menos que seja importante.

Do contrário, simplesmente ficarei calado e me afastarei.

Terás dito o que preciso saber.

Não há mais nada a dizer.

Mas isso não é suficiente para a maioria de vocês.

Deveríamos pensar nas suas palavras como se fossem sementes.

Deveriam plantá-las, e permiti-las crescer em silêncio.

Nossos ancestrais nos ensinaram que a terra está sempre nos falando, e que devemos ficar em silêncio para escutá-la.

Existem muitas vozes além das nossas.

Muitas vozes.

Só vamos escutá-las em silêncio.



Kent Nerburn
Texto traduzido por Leela,
"Neither Wolf nor Dog.
On Forgotten Roads with an Indian"

segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Respirar com amor no Divino, aqui e agora!

“Foi dito:
quando exalamos, o som é ‘Ham’,
ao inalar, o som é ‘Sô’.
‘Ham’ é a forma de Shiva (a Consciência),
‘Sô’ é a forma de Shakti (a Energia)”Shiva Swarodhaya



“Esteja atento à respiração sem estar preocupado com ela.
Respirar profundamente é bom, pode e deve ser aprendido...
Respirar profundamente não deve ser respirar artificialmente”
Omar Ali-Shah – mestre sufi

 

A combinação da respiração com a mentalização de seu som específico aprimora a concentração no ato de respirar. Morihei Ueshiba falava da importância de aun no kokyu: respirar o som primordial OM ou inspirar tudo. No hinduísmo o mantra que corresponde ao som da respiração, inconscientemente recitado quando se respira, é so ham, que quer dizer “eu sou isso”.

Em japonês a inalação é su e a expiração é haku. Juntos formam suhaku que também quer dizer “eu sou isso”, ou, em termos de Aikido: “Eu sou o Universo”. Nossa respiração individual é parte da respiração Cósmica e meditando nela podemos nos unir ao Cosmos.

Assim como diz um provérbio sufi: “... escutamos música e... nela percebemos certos segredos. Tocam[-se] música[s] e se submergem em ‘estados’”.

Dom Basil Pennington, monge da ordem religiosa da Trapa (ordem derivada da ordem de Cister, que por sua vez deriva dos beneditinos), defende a “oração centrante” onde “apenas nos sentamos, ficamos em Deus e usamos uma pequena palavra de amor para descansar mansamente com Ele. A maioria [das pessoas] pensa que somos loucos. E o que temos? Não temos nada, inclusive abandonamos nossos pensamentos, abandonamos tudo. Morremos para o falso ‘eu’".

Essa prática é descrita também no livro “O Caminho de um Peregrino”, onde um strannik (peregrino russo) buscava compreender as palavras de São Paulo: “Orai sem cessar” (I Ts 5:17), “orar em todas as circunstâncias, pelo Espírito” (Ef 6:18), e “em todo lugar, levantando as mãos puras” (I Tm 2:8). Passagem semelhante existe também no Cântico dos Cânticos, a bela poesia de Salomão que na realidade relata o enlevo amoroso da alma humana por Deus: “Eu dormia, mas meu coração velava” (Ct 5:2).
Mas como orar sem cessar, em todas as circunstâncias inclusive dormindo??! A maioria de nós nem imagina como isso é possível e essa ignorância vem de muito tempo: “porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar como convém” (Rm 8:26).

“Não é necessário estar sempre meditando, nem conscientemente experimentar a sensação de que estamos falando com Deus, não importando o quanto isso seja bom... Permita que seu coração aceite como vindo de Suas mãos tudo o que lhe acontece... Um coração como esse estará orando continuamente”. Madre Teresa de Calcutá (1.910-1.997)
A tradição do budismo Shingon, as escolas hindus de Mantra-yoga, o budismo tibetano Vajrayana, a meditação transcendental de Maharishi Mahesh Yogi e muitos outros, utilizam mantras (palavras ou frases curtas) como forma de oração. Aqui o ensinamento é o mesmo: de se concentrar no sentido do mantra.

Mas quando não há nenhum, se concentra na sonoridade do mesmo, ou se sincroniza com a respiração, até se chegar a um outro estado de consciência. Na seita Amida do budismo se repete a frase Namu Amida Butsu (Glória ao Buda Amida) indeterminadamente, até que a frase fique a reverberar por si mesma, sem influência da mente, do “eu”.

“O japa (recitação) é de três tipos: manasa, upamsu e vachika. Manasa japa é inaudível, mesmo para quem o está fazendo. Upamsu japa é aquele que somente pode ser percebido pela pessoa que o está vocalizando. Vachika japa é aquela repetição em que o mantra é audível. O upamsu japa é dez vezes e o manasa japa é mil vezes mais poderoso que o vachika japa. Japa em velocidade muito baixa pode produzir doenças. Japa demasiado rápido compromete o progresso. Portanto, o japa deve fazer-se de forma contínua e uniforme, como as pérolas de um colar” Mantra Yoga Samhita

De qualquer forma, a concentração numa palavra, numa frase ou numa oração (que pode ser um mantra hindu ou budista, ou uma jaculatória cristã, etc.), visa a direcionar a mente a um só ponto e controlar o livre fluxo dos pensamentos. Mas não se deve dar importância absurda à questão do controle dos pensamentos. Não se deve brigar com os pensamentos, quando notarmos que a mente vagueia a esmo, distraindo-se do objetivo central.

Essa é a natureza da mente e ela capta, a todo o momento, pensamentos externos e forma outros internos, com base em aspectos nossos que devem ser trazidos à consciência e resolvidos, numa sucessão contínua e ininterrupta. Desse modo não devemos achar que está tudo perdido se a mente insiste em se distrair.

Os pensamentos internos, que tem como base nossa memória e nossos sentimentos envolvidos com fatos do cotidiano, devem ser analisados buscando a se entender o seu mecanismo. Transforma-se, então, a oração em uma meditação analítica (Cf. adiante). Quanto aos pensamentos que continuam, os não originados em nosso interior, a nossa atitude deve ser de apenas os deixar passar e voltar a nossa atenção à respiração ou à oração.

Observar o seu surgimento e o seu desaparecer, continuamente, sem apegar-se a nenhum deles. Apegar-se a um pensamento é ir junto com ele e vivê-lo, mudando o foco de nossa concentração para eles. Quando ficamos a observá-los colocamos nossa consciência além dos pensamentos, num ponto em que parece que estamos separados do corpo, totalmente concentrados na oração, embora percebamos também, num nível inferior, as distrações infindáveis da mente. Assim pode-se sentir a presença do Divino enquanto a imaginação vagueia pelo mundano.

OM TAT SAT
AMEM

quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Dia do Professor - Educador



"Um mestre funciona como um agente catalisador, cuja simples presença estimula...

É como quando o sol nasce pela manhã e os pássaros imediatamente começam a cantar. Eles surgem voando de todos os lados, celebrando e dando boas-vindas ao novo dia através das canções. O sol não age diretamente sobre eles, mas algo acontece; o ambiente que ele cria faz com que os pássaros se sintam vigorosos, jovens e vivos. As flores começam a desabrochar...

O sol não está se dirigindo a cada flor, forçando-a a abrir, pelo menos não de uma forma direta, entretanto os seus raios dançam ao redor da flor, dando-lhe calor e encorajando-a delicadamente. As flores têm de ser tocadas de uma forma suave. Se você forçar suas pétalas a se abrirem elas não resistirão. Você conseguirá fazer com que se abram, mas ao mesmo tempo elas morrerão. O sol simplesmente cria o clima no qual elas podem desabrochar.

Um desejo interior surge dentro delas, algum instinto misterioso entra em sintonia com o calor do sol. E as flores se abrem e começam a exalar sua fragrância. Exatamente como o trabalho do mestre...
Ele não pode entregar a você aquilo que conhece, mas pode criar um certo campo de energia no qual suas pétalas podem se abrir, no qual as suas sementes são encorajadas, em que você pode criar coragem suficiente para dar o salto, no qual o milagre torna-se possível."

*Texto: O Mestre e o Sol de Osho - Zen: The special transmission

segunda-feira, 6 de outubro de 2008

A Meditação no Vazio

"Fecho os olhos.
Lembro que o sonho
ainda não se perdeu!"
(tirado do msn de um amigo, Adriano)

E respondeu uma amiga, Carla:
"Quando fecho os meus olhos,
vejo os teus olhos,
quando vejo os teus olhos,
abro o meu coração..."
“Meditando centrado no vazio e no não vazio, livre de pensamentos e sem movimento, o sábio fica firme e estável, profundo como um poço d’água” Kaulajnana Nirnaya, 84

“Quando você sabe que está orando, você não está orando adequadamente”
David Steindl-Rast, monge beneditino

“Seja um nada. ... O amor subsiste apenas no nada. Quando você está vazio, há amor. Quando você está cheio de ego, o amor desaparece. O nada é a fonte de tudo, o nada é a fonte do infinito... nada é Deus” Mohan Chandra Rajneesh – o Osho (1.931-1.990)

Ponto mais alto a ser praticado, a meditação no Vazio pode ou não ser precedida de várias das etapas anteriores. Pode-se resumir o caminho percorrido até aqui em estágios a serem percorridos para que se obtenha o silêncio do corpo, o silêncio da mente e o silêncio do coração, de forma que se possa ouvir o silêncio do Espírito.

Na visualização criativa, se deixa, indômita, a mente correr livre, mas contida numa certa direção. Procura-se centrá-la no mundo da imaginação, o mundo próprio da mente. Com o passar do tempo se consegue centrar a mente em palavras, sua sonoridade, seus sentidos e interpretações. Entra-se no caminho da Bhakti-yoga, o caminho da devoção e do amor divinos, presente em todas as religiões.

Para outros tipos de personalidade, há uma identificação com caminhos racionais, que possam ser investigados intelectualmente. Assim se centra a mente no processo investigativo da própria psique, das Leis da Natureza ou das Verdades Universais presentes em todas as tradições filosóficas e religiosas. É o caminho que os hindus denominam Jnana-yoga, o caminho da Sabedoria Divina.

E para os que julgam não ter tempo para devoção ou para o uso do intelecto, pois se julgam atarefados demais, há o caminho do trabalho abnegado, onde a mente é centrada em cada ação executada. Como dito antes, a atenção no acordar, no escovar os dentes, no alimentar-se, no trabalhar, no caminhar, nos exercícios físicos, na prática de artes marciais e nos rituais, religiosos ou não, etc., conhecido pelos hindus como Karma-yoga, visa a se viver o momento presente, centrado no que se está fazendo no momento, podendo se concentrar também no significado da ação, ou não.

Com o passar dos anos, e com a evolução espiritual pessoal, muitos tipos de meditação, que antes nos eram benfazejas, não nos interessam mais, e não conseguimos mais nos concentrar na meditação dirigida, por exemplo. Santa Teresa d’Ávila afirma que quando o buscador vislumbra o divino dentro de si, passa a encontrar enorme dificuldade em se concentrar nas práticas de visualização criativa que antes realizava.

Então ocorre o que a ciência atual chama de salto quântico: de repente, sem nenhum controle pessoal, se experimenta, durante as práticas de meditação dirigida, o Vazio, o Silêncio, o Nada. Começa a verdadeira experiência meditativa da percepção direta da Verdade.

Morihei Ueshiba, o fundador do Aikido, a chamava de odo no kamuwaza (técnicas divinas de se estar colocado no vazio), um estado natural de liberdade de todo o esforço consciente em que técnicas extraordinárias surgem espontaneamente. A manifestação física do verdadeiro vazio é sumikiri: “perfeita clareza de corpo e de mente”.

A verdadeira meditação é aquela em que se pára a mente e se experimenta o “silentium mysticum” de alguns autores católicos. São João da Cruz (1.540-1.591) o denomina de “a chama viva do amor” que possuía todo o seu ser e o lançava num completo esquecimento de si, numa quietude e profunda concentração para além de todo o pensamento: um “sono espiritual”. Santa Teresa d’Ávila, como vimos, a chama de oração de quietude e Madre Tereza de Calcutá de prece silenciosa.

Essa técnica é conhecida na filosofia hindu como Raja-yoga. Na Escola budista chinesa T’ien-t’ai, esse tipo de meditação é conhecido como Chi-kuan, que visa parar a mente (chih) e aperfeiçoar a consciência. Técnicas de introdução ao êxtase místico até a completa imobilidade que faz “perceber a Realidade” são praticadas pelas tradições sufis Qadiri e Suhrawardi. É focar a concentração no espaço entre a expiração e a inspiração, entre um pensamento e outro. É nesse local que reside o vazio.

Para o Buddha, a libertação e a experiência da Realidade última somente viria quando, após ultrapassarmos nosso barulho interno, ultrapassássemos também a paz interior e a tranqüilidade, ganhos com a prática da Meditação Dirigida. Mergulhar no Vazio além da tranqüilidade.

Trazer para a vida cotidiana, para todas as nossas atividades, a todos os momentos de nossa vida, a visão do que é real, nos trará o nosso autoconhecimento e o desenvolvimento de nossa visão intuitiva. O interesse desperto levaria à atenção e esta aumentaria o interesse, que aumentaria a atenção, continuamente. Atenção, vigilância e consciência plena conduziriam à completa libertação da mente, ao Nirvana.

“Uma palavra disse o Pai, que foi seu Filho [o Verbo] e esta Palavra o Pai a diz no eterno silêncio e em silêncio é preciso que pela alma ela seja ouvida” São João da Cruz (1.540-1.591)

A Sociedade dos Amigos procurou por uma espiritualização maior do cristianismo. Acreditam que Deus está em todos os seres humanos, uma realidade viva na forma de uma luz interior. Seu culto, silencioso, dura uma hora, numa forma de meditação que descrevem como sendo uma “relação de amor entre Deus e a alma“, só interrompida quando alguém experimenta o impulso interno da palavra, a palavra provinda do Espírito Santo, ouvida reconditamente por cada um.
“Em sua forma mais simples, a prece é uma atitude do coração – uma questão de ser, não de agir” Larry Dossey

Aprende-se a orar com o coração, a mais alta forma de oração devocional, descrita anteriormente. De repente esse lento processo cede, devido a uma brusca ruptura do filtro, causando uma percepção direta da Verdade, ou experiência mística, para em seguida se fechar parcialmente, novamente. E esse processo continua até que não exista mais o filtro e se fique com o canal permanentemente aberto à superconsciência, à Consciência Crística e, por fim, à Consciência Cósmica.

Veja mais em http://www.orion.med.br/o2tx79.htm


e seja feliz entre o vazio e a plenitude, entre o tudo e nada, simplesmente ser: ETERNO e IMORTAL!

OM TAT SAT

sábado, 20 de setembro de 2008

Poema de Papaji




Namaskar,

Antes do começo você é pura Consciência.
Você é a totalidade do Amor no Amor e o vazio do Alerta.
Você é a Existência e a Paz além da Paz.
Você é a tela onde tudo é projetado.
Você é a Luz do Conhecimento.


Aquele que deu o conceito de criação ao criador.
Esqueça-se daquilo que puder ser esquecido e reconheça a si mesmo
como aquilo que não pode ser esquecido.

Você é o substrato onde tudo se move... deixe que se mova.
Você é Agora, você é o Agora.
Que “eu” existe que possa estar fora desse Agora?
Você é a Verdade e somente a Verdade é.

Você é Inatividade.
Atividade é o seu reflexo, a sua Brincadeira, o seu mundo.
O Sol é Inatividade, os espelhos são atividades.

Você é este precioso Momento, a Presença em Si,
qualquer brisa que te toque santificará até mesmo demônios.

Você é Aquele que está Consciente
da Consciência de objetos e idéias.
Você é aquele que é até mesmo mais Silencioso que o Alerta.
Você é a Vida que precede o conceito de vida.
A sua natureza é o Silêncio
e não é alcançável, É desde sempre.

“Espaço” foi sua primeira noção
e você tomou Sat-chit-ananda* como sua primeira forma.
O mundo é a sua mente
e Tudo brota do seu Coração.

Aqui e Agora é o seu coração.
Como Amor você aceita a caverna desse Coração
de onde todo tempo e espaço surgem.

Você é o Interior que não está nem dentro nem fora.
A mente não chegando a lugar algum está Dentro,
nenhuma parede está Dentro.
Você é a Existência em todos os átomos,
conheça isso e você será Felicidade.

Você é o Vazio, a Substância Suprema:
remover o Vazio do Vazio deixa apenas o Vazio, pois não há nada além Dele.
Tudo surge, dança ao redor e retorna a Isso.
Assim como o Oceano se torna uma onda para dançar
assim você é esse Vazio dançante!
Nada está fora desse Vazio e portanto Ele é a Totalidade.
O Vazio está entre o é e o não é.
Para ser Livre você precisa da firme convicção
de que você é esse Substrato, essa Paz, esse Vazio.

Você é aquilo onde todos os acontecimentos acontecem.
O que acontece, deve acontecer; assim, permaneça indiferente como Paz.
Seja Pacífico e essa Paz se espalhará.
O que surge da Paz é Paz
e o que surge da confusão é confusão.
Então Seja a Paz e dê isso ao Universo.
É tudo o que você deve fazer.
Mesmo pensar “eu sou Paz” perturba essa Paz.
Então apenas fique quieto; Seja como você é.

Você é “Sendo”, não “tendo Sido”,
não “seria”, mas “Sendo”.
Você é a Atemporalidade na qual nenhuma morte pode entrar
pois onde não há nenhum tempo, não há nenhuma morte.
Essa Atemporalidade é Agora e Isso é Ser.

O Ser está sempre brilhando. EU SOU é a Luz do Ser.
Esse Diamante não pode se esconder e não pode nunca ser escondido.
Quando não há mente, a face brilha de Beleza e Inocência.
Apenas simplesmente fique sossegado; apenas seja o que você é.


Sri H. W. L. Poonja (Papaji)




*Sat-chit-ananda:
Sat: O aspecto transcendental do Princípio Último em atividade.
Chit: Consciência Universal.
Ananda: Êxtase.

Formam uma trindade: existência, consciência e êxtase.

terça-feira, 26 de agosto de 2008

Uma poesia do Ser Essencial

Contigo aqui estou
Em cada gota do orvalho e em cada gota da chuva,
Em cada fluir da cachoeira e em cada fluir do rio ao mar,
Em cada raio do sol e em cada raio do luar,
Em cada poeira da terra e em cada pó que o vento carrega,
Em cada folha da árvore e em cada flor do jardim,
Em cada ser animado e em cada ente inanimado,
Em cada existência que vive e em cada essência que morre,
Em cada aparente personalidade e em cada escondida pessoa,
Em cada cheia e em cada seca,
Em cada pedra no caminho e em cada buraco na trilha,
Em fenda aberta e em cada ferida curada,
Em cada amanhecer e em cada anoitecer no alvorecer do SER,
Ainda, aqui estou
Em cada sorriso e em cada lágrima,
Em cada olhar do menino e em cada abraço da menina,
Em cada beijo roubado e em cada beijo dado,
Em cada porta que se abre e em cada janela que se fecha,
Em cada carinho da brisa e em cada conselho do vento,
Em cada palavra e em cada pensamento,
Em cada imagem e em cada sentimento,
Em cada passo e em cada pausa,
Em cada respirar e em cada sintonia
Que se preza em cada conexão que se encontra e que se perde
Continuo...
E em cada vice-versa, aqui estou, ainda,
Em todos os cada de tudo e em nenhum cada de nada
Daquilo que circula no que permanece impermanente
E sigo, contigo, em cada instante que tu existir...

Quem sou EU?

"Sábio entre os homens, devoto

e perfeito realizador de toda a obra é aquele

que pode ver a inação na ação e a ação na inação. "Sri Krishna

Não há nenhum centro no ser humano, apenas a existência tem um centro.

Ao aprofundar na questão “quem sou eu” não achamos resposta, mas simplesmente vemos que não há nenhum eu, nenhum centro. Assim o corpo e a mente ficam no seu verdadeiro lugar (de onde nunca saíram), caindo assim conceitos como interior e exterior, “eu” e “você”.

Se entrarmos em uma onda, veremos que é o mesmo interior do oceano, o que somos é o oceano.

No seu “mim”, eu e o todo estamos incluídos e vice-versa. Existe o âmago e a casca apenas aparenta existir, pois na periferia tudo muda, por isso tudo somente “pisca” brevemente entre duas inexistências.

O centro nunca muda, é eterno. Até mesmo passado, presente e futuro são irrelevantes pois pertencem ao tempo.No fundo não somos nem temporais, nem espaciais, nem temos objetivos, nem causa, porque só o que muda está sujeito a essas regras.

Algo como o Hatha Yoga, pode harmonizar o seu corpo, preparando para o Raja Yoga, que tornará mais fácil de sua mente absorver isso (Jñana Yoga), embora nada disso seja um critério necessário. Mas ambos podem permitir ao leigo um terreno fértil para o Jñana Yoga, o centramento no imutável.

Quando nos centramos no imutável, o contínuo acontecer será algo como uma brincadeira, sem nenhuma tensão, porque não faz diferença. Mas só realmente não fará diferença para aquele que compreendeu isso e não está mais em tensão. Fora isso o engano prevalece pois o ego (ahamkara) apesar de ilusório, iludirá uma tensão. A questão é ver isso como ilusão.Para haver tensão é necessário haver identificação, que precisa de um ego que surge quando há um agente e um objetivo.

Por acaso no centro, onde nada está mudando, agente e objetivo são relevantes? Os pensamentos, por exemplo, são insignificantes, pois não há como interferir. E quando vemos que as coisas simplesmente acontecem, apenas ser será o suficiente, apenas acontecer junto (até mesmo porque não temos escolha).

Tudo está acontecendo eternamente e nessa sucessão de acontecimentos não há agente, apenas acontecimentos.O “eu faço” vem da memória, mas na observação pura, acontecimentos e não-acontecimentos não fazem diferenças. Apenas sendo um não-agente, absolutamente passivo, sucesso e fracasso, raiva e amor, “quebrando-o-pau” e “tudo-em-paz”, bondade e maldade, certo e erado são acontecimentos e não um fazer. No fundo não há nenhum fazer e deixar-se iludir por isso (mente) traz tensão.

O que você ganhou com sua louca atividade constante até agora? Tente assim! Agora! O que tem a perder? Não estou falando de passividade física, mover-se ou não é irrelevante, a verdadeira passividade é ver essa questão bem clara e ver que não há agente.

As ações do corpo são determinadas pelos pensamentos, os quais você não comanda. E para ver isso é só perceber que sua mente será condicionada pelo próximo pensamento, que você nem sabe qual será, ele será jogado de algum lugar na sua mente. Que tipo de controle você pensa que tem? Você pode escolher se permite sua mente ser mais atenta, relaxada, sem expectativas ou regras, isso trará o terreno ideal para a Visão. E quando houver a visão de que você sempre foi essa consciência cósmica, eu te perguntarei: onde esta tensão?

Aí você passou pelo “Esclarecimento” de sua mente, aos poucos será “Absorvido” por isso. É um tempo até corpo e mente assimilarem. Então tudo será um filme de comédia, até mesmo a própria tensão. Você brincará com a ilusão e saberá, pela sua própria vivência, o que é real.

Nada!

(enviado por alguém)

L'Amour...

"Eu relaxo e deixo de lado todos as perturbações mentais,
permitindo que Deus expresse através de mim
Seu amor perfeito, paz e sabedoria"
Paramahansa Yogananda, Afirmaçoes de Cura

O Amor...
Valentim foi um grande Mestre do Amor. Foi um primitivo Cristão Gnóstico do Século II, depois de Cristo e fundou uma grande escola com ramificações no Oriente e Ocidente, denominada a escola dos Valentinos.

Estudava o Esoterismo Crístico em todos seus aspectos e ensinava sobre o Milagre do Amor.Seu nome tem perdurado até nossos dias como símbolo do amor, celebrando-se em muitos países o “Dia de São Valentim”, na data de 14 de fevereiro, como Dia dos Namorados.

O Amor é a melhor Religião exeqüível. Hermes Trismegisto, o “Três vezes grande Deus Íbis de Thot”, disse: “Dou-te Amor, no qual está contido todo o Sumum da Sabedoria”.

O Amor é uma infusão ou uma emanação energética que brota do fundo da consciência, produzindo dentro do organismo transformações maravilhosas; as glândulas endócrinas estimulam todo o organismo, produzem milhões de hormônios que invadem os vasos sanguíneos, enchendo-os de extraordinária vitalidade.

Hormônio vem da palavra grega que significa “ânsia de ser”, “força de ser”. O Amor rejuvenesce os anciões, pois suas glândulas endócrinas produzem hormônios suficientes para revitalizá-los.

O Amor em si mesmo é uma Força Cósmica, uma força universal que palpita em cada átomo, como palpita em cada sol. Os planetas do nosso sistema solar giram ao redor do Sol, atraídos incessantemente por essa força maravilhosa do amor.

Os átomos, dentro das moléculas, também giram ao redor de seus centros nucleares, atraídos por essa força formidável do amor.Nos antigos tempos, sempre se rendeu culto ao Amor, à mulher.

A mulher é o maior pensamento do Criador feito carne, sangue e vida; criada para a sagrada missão de trazer filhos ao mundo, multiplicar a espécie. A maternidade em si mesma é grandiosa.

O homem deve ser uma essência inicial de força de criação; a mulher o poder receptivo formal de qualquer criação.O homem é como um furacão; a mulher é como o vento silencioso do vôo das pombas nos templos e nas torres.

O homem em si mesmo tem a capacidade para lutar; a mulher em si mesma a capacidade para sacrificar-se.Ambos, homem e mulher são as duas colunas do Templo.Essas colunas não devem estar muito distantes, nem muito próximas, deve haver um espaço para que o amor passe entre elas.

Saiba mais dessa bela história de nós mesmos em http://www.gnose.org.br/conteudo.asp?id=49&texto=4911&tipomenu=h&titulo=

beijOM

terça-feira, 15 de julho de 2008

Essencial...

"Feliz é aquele que transfere o que sabe
e aprende o que ensina."

Cora Coralina


Esta existência terrena é a infância da Eternidade.

Somos aprendizes nesse mundo inferior e nossa lição pode ser resumida em 3 palavras:
PURIFICAR O CORAÇÃO!

O que é efemero e o que é real?
Quais as coisas que tem verdadeiro valor?
O que é Essencial?

Essencial é a ascendência, essencial é o aprimoramento interior, essencial é examinarmos nossos corações todas as noites, para verificar se tivemos lucros ou perdas no nosso capital espiritual.

Essencial é lembrarmos que nossa passagem por aqui é finita e que em breve seremos chamados a partir.

Não me dêem formulas certas, porque eu nao espero acertar sempre...

Não me mostre o que esperam de mim, porque vou seguir o meu coração!

Não me façam ser o que eu não sou, não me convidem a ser igual, porque sinceramente sou diferente!
Não sei amar pela metade, não sei viver de mentiras,
Não sei voar com os pés no chão...
Sou sempre eu mesma, mas com certeza não serei a mesma para sempre...

(Um pouco de mim e outros autores)

segunda-feira, 30 de junho de 2008

Prece de YOGANANDA

'Meu Senhor!
trabalha com minhas mãos
elas foram feitas para servir-Te,
e colher flores para Teu templo.
Meus olhos foram feitos para contemplar Tua presença
nas estrelas cintilantes e nos olhos dos devotos espiritualizados
Meus pés foram feitos para levar-me a Teus santuários em toda parte
e ali sorver o néctar dos sermões que fazes às almas que Te buscam
Minha voz foi feita para falar só de Ti
Provo alimentos saudáveis,
para lembrar-me de Tua bondade que a todos nutre;
inalo o aroma das flores para poder aspirar ali
Tua presença perfumada.
Dedico a Ti meus pensamentos, meus sentimentos e meu amor.
Todos os meus sentidos harmonizam-se
com Tua orquestra celestial de fragrância, beleza e alegria,
que toca seu refrão na eterna sinfonia do cosmos.
Guia-me das trevas para a luz.
Do ódio para o amor.
Das limitações para o Teu poder inesgotável;
da ignorância para a sabedoria.
Guia-me do sofrimento e da morte para a vida eterna
e para a satisfação em Ti
Acima de tudo, conduz-me da ilusão do apego humano
à realização em Teu eterno amor,
que brinca de esconder comigo em todas as formas de amor humano.

Pai, Mãe, Amigo, Bem-amado Deus, revela-Te a mim!
Não me deixes mais na ignorância.
Expulsa toda ilusão do sagrado santuário de minha alma.
Que sejas o único Rei sentado no trono de minhas ambições,
a única Rainha no castelo de meu amor,
a única Divindade no templo de minha alma.
Conserva-me desperto em Tua consciência
para que eu possa orar e exigir incessantemente,
até que abras todas as portas de Teu lar de sabedoria e ali me recebas,
Teu filho pródigo,
e me presenteies com o novilho cevado da imortalidade e da alegria eterna."

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Chama Violeta



Veja a Chama Violeta da Transmutação brilhando ao seu redor, curando, equilibrando, reforçando e aperfeiçoando, com você lentamente voltando ao estado harmonioso de Ser.

Quando você começa a se amar e se sentir valorizado, você não irá mais sentir necessidade de manifestar aqueles sintomas desagradáveis. Você é um Espírito na forma humana, e você escolhe seu corpo físico e herança familiar por uma razão, para poder tratar e equilibrar formas-pensamento e energias que precisam de tratamento.

Os pensamentos que você permite em sua mente são tão importantes quanto comer uma dieta equilibrada, tomar bastante água pura e exercitar seu corpo físico. Sua saúde irá melhorar quando você aprender a focar em pensamentos positivos ao invés de permitir que pensamentos negativos dominem sua mente.

Você não pode parar de pensar sobre alguma coisa que está na sua mente, mas você pode se disciplinar para monitorar seus pensamentos e substituir os preocupantes por afirmações positivas. Desta forma você irá ter controle sobre os padrões vibratórios que está projetando no seu campo áurico. Mude seus pensamentos e você pode mudar seu mundo. Afirme para si mesmo que viverá cada dia plenamente e agradeça as pequenas e grandes coisas e milagres que aparecem no seu caminho.

Ocasionalmente, pare entre uma inspiração e expiração, que é o Ponto Parado da Criação, um momento de perfeita sintonia com Tudo Que É. Fique atento, esse momento precioso é onde você pode ter segurança, não importa sua idade física.
E saiba que quando é o momento de você transcender, será como se estivesse passando por uma porta para o lugar mais maravilhoso que você pode imaginar, e nós estaremos lá para lhe dar as boas-vindas em sua casa.

Existe um caminho da sua Mente Sagrada para seu Coração Sagrado, e quando essa reunificação acontecer, você estará bem no seu caminho de automestria e todo um novo mundo de possibilidades se abrirá diante de você. Sua Mente Sagrada irá iluminar sua natureza emocional, e seu Coração Sagrado irá iluminar sua natureza mental, no momento em que você voltar à consciência unificada da automestria.

Os próximos anos serão excitantes, os anos compensadores de sua vida estão apenas começando se você começar a entrar na sua Mente Sagrada através do seu Coração Sagrado. Você trouxe consigo maravilhosos dons e atributos; contudo, você tem que começar conscientemente a acessar e trazer esses dons para sua consciência. Visualize o mundo perfeito que gostaria de cria, e siga os cutucões de sua alma, realizando os atos necessários para manifestar seus sonhos.

Você pode ser um exemplo brilhante para os que estão ao seu redor projetando amor e harmonia. Veja-se rodeado pela Chama Azul Violeta da transmutação e projete isso para o mundo da substancia. Você está no meio do processo de iniciação necessário para se tornar um mestre da cocriação na Terra. À medida que você passa por cada lição e vê o valor dos ensinamentos, saiba que você nunca irá passar pela mesma experiência de novo. Veja cada adversidade como uma semente de oportunidade. Chame pelos mestres e por nós do Reino Angélico. Estamos sempre por perto; apenas sussurre nossos nomes e responderemos. Nós o amamos alem de todas as medidas.

Eu Sou Arcanjo Miguel.

quarta-feira, 16 de abril de 2008

Ser um rio entre as montanhas, indo em direção ao Oceano

"Eu sou a onda, a onda do mar
Faz de mim o mar, faz de mim o mar
A onda do mar desfaz-se no mar"
Paramahamsa Yogananda


Diz-se que, mesmo antes de um rio cair no oceano, ele treme de medo.

Olha para trás, para toda a jornada, os cumes das montanhas, o longo caminho sinuoso através das florestas, através de povoados, e vê à sua frente um oceano tão vasto que entrar nele nada mais é do que desaparecer para sempre.

Mas não há outra maneira. O rio não pode voltar. Nem você pode voltar. Voltar é impossível na existência; você pode apenas ir para frente.

O rio precisa se arriscar e entrar no oceano.E somente quando ele entra no oceano é que o medo desaparece, porque apenas então o rio saberá que não se trata de desaparecer no oceano, mas tornar-se o oceano.

Por um lado é desaparecimento, e por outro lado é uma tremenda ressurreição.
Assim somos nós, voltar é impossível na existência. Você pode ir em frente e se arriscar. Coragem, torne-se oceano.

O mestre tira somente coisas que você não tem, mas que pensa que tem. E continuamente lhe dá coisas que você tem, mas esqueceu completamente que elas são sua natureza intrínseca.

OSHO

terça-feira, 15 de abril de 2008

Cada ser traz em si uma mensagem...

"Não fiz o melhor,
mas fiz tudo para que o melhor fosse feito.
Não sou o que deveria ser,
mas não sou o que era antes."
Martin Luther King



Sempre Eterno, na imortalidade das existências, a vida é um fluxo do ir e vir tal qual as ondas do mar. Vivemos num oceano de infinito AMOR, LUZ, PODER, HARMONIA e PAZ. Vá até a beira do mar ou esteja dentro dele, veja sua essência, contemple-o na profundidade de suas alturas e realize a percepção e sensação de se unificar a algo que existe, onde só há um perfeito e divino equilíbrio.

“Dentro do coração,
em uma pequena cavidade,
repousa o universo."
Mahanarayana Upanishad

E quem cria a desarmonia e o caos, senão a nossa própria desordem interior que contamina o que está no exterior? Pobres seres que passam fome, que não tem um abrigo ou um acalento! E ricos aqueles que mesmo perante adversidades mantem a presença do espírito, da fé, da aceitação em serena alegria num contentamento ora descontente e dolorido, porém até mesmo assim, com um torpor amoroso e delicado!

O que importa? Dentro ou fora? Se é que algo importa mais do que ser em AMOR e residir nesse estado de unidade?

"As religiões são caminhos diferentes
convergindo para o mesmo ponto.
Que importância faz se seguimos por caminhos diferentes,
desde que alcancemos o mesmo objetivo? "
Mahatma Gandhi


E nesse viver na existência do SER, é justamente nessas idas e vindas das ondas que nos encontramos. É isso! De uma beleza e magia tão incríveis, de uma magnitude sem par!

E pára, tudo... Nessa pausa se entregue ao nada em que habita o silêncio! Vazio de si mesmo, de crenças e de conceitos e de tudo que seja, nada!

Num observar atento, claramente se vê, a natureza está à nossa frente, oferecendo tudo o que necessitamos, a nos nutrir em todos os aspectos, físico-mental-emocional. É ser de novo o recomeço e ao se tornar pequeno na grandeza da criação contínua, estar nesse espaço sutil a germinar a semente, para se compartilhar em flor.

O aparecimento e desaparecimento de pessoas ou coisas, servem para a resolução de karmas passados e assim é possível ir ficando mais consciente de como isso se processa, ainda no desenvolvimento de ver com mais clareza a observar o que desabrocha desde dentro.

Aos poucos tudo ganha um novo prisma, certos detalhes estarão sendo mais esclarecidos, mas o que nos basta, é o agora! Este presente nos é dado para o que devemos viver. Sim, viver o que já é!

Com atenção para daqui em diante cortar esses karmas antes que aconteçam de forma a dar continuidade ao que não mais é necessário!

Um dia quando se está na margem contemplando o oceano, pode aparecer uma garrafinha com uma mensagem dentro e se tem a escolha de entrar em contato ou não com seu conteúdo. É aí que vem mais um recomeço! Cada pessoa traz em si uma mensagem.

São os ciclos como as estações, vem e vão. Em cada ciclo que finda, outro se inicia. E dentro da espiral universal, se pudermos ver com uma visão mais ampla, é possível ver a existência de ciclos infinitos que se intercalam e se intercruzam, circunscritos entre si.

Que sina é o viver a vida, numa intensidade surreal, de uma loucura tão coerente. Dentro do oceano, aceitando tudo que a existencia manifesta, nesse vem e traz algo, enquanto vai e carrega algo novamente.

É o ciclo, muitos ciclos entre o ir e vir... entre o inspirar e expirar... enquanto isso assisto e vivo!

E quero não querer, nem pedir, a primar pela simplicidade do ser. É um fato que se esclarece, quanto menos coisas, melhor! E assim seguimos na luz, aprendendo!

"Quanto mais profunda for a Auto-realização de um homem,
mais ele influenciará o universo inteiro
com suas vibrações espirituais sutis
e menos será afetado pelo fluxo dos fenômenos. "
Paramahansa Yogananda

inté mais.... até Jah... Krishna.... Jesus.... Allah... OM... AMEM

segunda-feira, 14 de abril de 2008

A força da Oração

A GRANDE INVOCAÇÃO



DO PONTO DE LUZ NA MENTE DE DEUS,
QUE A LUZ AFLUA ÀS MENTES DOS HOMENS;
QUE A LUZ DESÇA SOBRE A TERRA.

DO PONTO DE AMOR NO CORAÇÃO DE DEUS,
QUE O AMOR AFLUA AOS CORAÇÕES DOS HOMENS;
QUE CRISTO DESÇA À TERRA.

DO CENTRO ONDE A VONTADE DE DEUS É CONHECIDA,
QUE O PROPÓSITO GUIE AS PEQUENAS VONTADES DOS HOMENS;
O PROPÓSITO QUE OS MESTRES CONHECEM E SERVEM.

DO CENTRO A QUE CHAMAMOS A RAÇA HUMANA,
QUE SE REALIZE O PLANO DE AMOR E DE LUZ
E SE SELE PARA SEMPRE A PORTA DO MAL.

QUE A LUZ, O AMOR E O PODER RESTABELEÇAM O PLANO NA TERRA.

Ensinamentos do bambu

"Não devemos permitir
que alguém saia de nossa presença
sem se sentir melhor e mais feliz. "Madre Tereza de Calcutá

Já tive vivências bem fortes nos bambuzais. Nas experiências que tive, por vezes vou apenas e me sento no meio dos bambus, parar para ouvir suas mensagens, onde me trazem canções e poesias, tal qual o sereno balbuciar da brisa que os embalança de um lado para o outro. As vezes, apenas os observo, vejo suas formas, admiro suas cores e larguras, também sinto suas texturas no contato mais profundo, entre o tornar-se uno com o bambu... Vivo os sentidos nessa integração que me ensina a ser mais verdadeira, simples e essencial!

Veja a foto abaixo por alguns instantes e entre no meio dessa vida natural, onde a natureza por si só em sua simplicidade tanto nos ensina.


Abaixo as 7 verdades do Bambu, fonte retirada do livro “Buscando as coisas do Alto” de Padre Léo :

1) ter HUMILDADE em reverência ao Supremo e render-se à Fonte Única. Perante as dificuldades, afirme: "Eu sou o fruto da Vontade Divina e que seja feita a Tua Vontade".
2) criar RAÍZES PROFUNDAS em Deus na oração e na entrega. "Como é acima, assim é abaixo e o que está dentro está fora!"
3) primar a COOPERAÇÃO, um bambu nunca está só, pois que vive no coletivo, em moita ou comunidade. "Serviço é o cooperar para o bem e pelo bem de todos"

4) não ter GALHOS, ensina a não se permitir criar galhos. Não perca tempo na vida tentando proteger os galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.

5) ser cheio de “NÓS” (e não de eu’s ). Como ele é ôco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Deixar o eu inferior de lado e ser mais pelo humanitário-altruísta.

6) ser ÔCO ou VAZIO DE SI MESMO, porque se não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes. Ser ôco significa estar pronto para ser cheio do Espírito Santo.

7) a META, firme no propósito, o bambu só cresce para o alto. Ele busca as coisas do Alto. Essa é a meta de todos nós.



Assim é!
OM