Recorda desde a divina matriz o real propósito a que vens AQUI e pelo qual AGORA te manifestas!

Enquanto um diz: Namastê, te saúdo e te reconheço como a sagrada divindade. Em outro lugar, o outro pulsa: In lake´sh, eu sou o outro em você a serviço planetário da compreensão, da aceitação, da cura, da libertação e da realização.

Aquele que tudo vê, nos inspira e responde: "Com visão e esperança danço e canto para o coração divino." Acredito que assim nasce o puro, verdadeiro e divino AMOR, nossa responsabilidade básica.

Aqui e agora é tudo que existe de ETERNO. Respiro e sinto o que simplesmente É e dentro dessa Eternidade, a lembrança IMORTAL: SOMOS UM na Divina Presença.

Seja uno com cada ser-elemento manifesto e a gratidão lhe conecta na fonte de amor e alegria infinita, paz e compaixão infinita, paciência e tolerância infinita.

No espelho do ser, o reflexo D´eus. A união do Todo se traduz num som... OM... AMEM... silêncio!

OM TAT SAT OM...

terça-feira, 2 de novembro de 2010

Vitória Fugaz

Sob a bola de fogo brilhante
Ante a lua fulgurante

O príncipe heróico
Em seu lindo cavalo branco
Galopa ao instante
Levando em suas mãos

A liberdade
A esperança
A paz

Que resplandece por seu manto branco
Vivaz pelo coração do amor
A caminho dos cristais
Purifica-se o ser

Anjos auxiliam na batalha
Anjos anunciam a vida eterna
De suas trombetas de pureza
Voando em suas asas borboletas
Olha-se para baixo
E se vê os pobres mortais
Em suas vidas materiais
Os guerreiros carnais
Com seus cavalos sem par
Estão longe demais
Dos caminhos dos cristais
E dos príncipes espirituais

As cores traduzem
Bem como as palavras
Escritas nas pinturas
Faladas nas gravuras
Ora esculturas

Ainda que sem fim...

Príncipe do manto alvo
Galopante cavalo branco
Leva o amor no coração
Nas mãos a bondade
A distribuir por todos os lares

A liberdade
A esperança
A paz ...

Porque uns não sabem
Outros choram
Outros dormem
Uns já acordaram
Para o feliz despertar
Do novo reino real
A conquista eu vejo
Nos seus olhos espirituais
Tal qual a águia atroz
Àqueles olhares
Do que é direto e penetrante
Guiam ao destino final
A tão vitória esperada

Do amor universal...

* * *

por mim, Átma

Nenhum comentário:

Postar um comentário