Recorda desde a divina matriz o real propósito a que vens AQUI e pelo qual AGORA te manifestas!

Enquanto um diz: Namastê, te saúdo e te reconheço como a sagrada divindade. Em outro lugar, o outro pulsa: In lake´sh, eu sou o outro em você a serviço planetário da compreensão, da aceitação, da cura, da libertação e da realização.

Aquele que tudo vê, nos inspira e responde: "Com visão e esperança danço e canto para o coração divino." Acredito que assim nasce o puro, verdadeiro e divino AMOR, nossa responsabilidade básica.

Aqui e agora é tudo que existe de ETERNO. Respiro e sinto o que simplesmente É e dentro dessa Eternidade, a lembrança IMORTAL: SOMOS UM na Divina Presença.

Seja uno com cada ser-elemento manifesto e a gratidão lhe conecta na fonte de amor e alegria infinita, paz e compaixão infinita, paciência e tolerância infinita.

No espelho do ser, o reflexo D´eus. A união do Todo se traduz num som... OM... AMEM... silêncio!

OM TAT SAT OM...

sábado, 11 de dezembro de 2010

BHÁVANA – O conceito da Unidade

1) Escolha um espaço próximo de você. Olhe à sua volta. Observe a natureza que lhe cerca. Se encontrar uma planta, olhe para ela e perceba suas folhas (formato, cor, textura). Seus galhos, troncos. Sinta a textura das suas folhas, flores, tronco, percorrendo-a com as mãos, delicadamente procurando sentir também sua energia. Explore mais ao seu redor, procure descobrir outros componentes, como insetos, pedras, folhas secas, etc. Perceba como estão distribuídos, como se movimentam. Sinta tudo isso e procure se identificar com a energia desse espaço, desses componentes. Mantenham a atenção na respiração, abdominal e num ritmo natural. 15’

2) Compartilhar a experiência

3) Comentar as experiências, explorando o tema, da seguinte forma:

3.1) A prática envolve 3 elementos que são: Dhyana ou meditação, contemplação; Karma ou ação, que conduz a Dhyana, e Bhávana ou conceito de unidade. Hoje vamos falar e vivenciar o Bhávana.

3.2) Conceito de Bhávana – para chegarmos ao conceito do Bhávana precisamos entender o conceito de BHÁVA:

* MOTIVAÇÃO – Yoga parte do princípio de que todo ato tem sua motivação;

* Todos os nossos atos (conscientes e inconscientes), pensamentos, sentimentos, têm uma motivação. ISSO SE CHAMA BHÁVA, ou seja

* MOTIVAÇÃO = BHÁVA = forma de como reagimos ao mundo e a nós mesmos

* BHÁVA = conjunto de percepções, emoções, sensações que geram nossas motivações para a vida

EXEMPLOS:
1) se estou IRRITADO, pode ser porque:
o Estou com problemas físicos (de fígado, prisão de ventre, excesso de hormônios, etc)
o Posso estar sob influências astrológicas
o Dificuldade psicológica – raiva por sensação de abandono

2) se estou TRISTE pode ser porque:
o Uma perda real – pessoa querida
o Baixa auto-estima – falta de confiança em mim
o Pela pobreza e miséria humanas
o Por me sentir só
o Por estar doente

* Da NATUREZA do BHÁVA depende a NATUREZA da CONSEQUÊNCIA dos meus atos:
o Serei triste, feliz, otimista, pessimista, em humorado, afetuoso, corajoso, forte, saudável, etc. em função das minhas motivações para a vida, da natureza do meu Bháva. Somos nós mesmos que sentimos as conseqüências da natureza do nosso Bháva
o Por isso a importância de ELEVARMOS nosso Bháva? QUANTO MAIS NOS SENTIMOS MOTIVADOS PARA AÇÕES PURAS, SAUDÁVEIS E SUBLIMES MAIS APRENDEMOS A AGIR CONFORME ESSAS AÇÕES INCORPORANDO-AS AO NOSSO COMPORTAMENTO.

* Qual é então A CONCEPÇÃO DE VIDA MAIS ELEVADA, MAIS TRANSCENDENTAL que podemos ter?

É A CONCEPÇÃO, A VISÃO DA UNIDADE!

Esse conceito UNE TUDO, aproxima tudo, engloba tudo de uma maneira organizada e perfeita. Gera tolerância, felicidade, paz, amor ao próximo.

Dessa compreensão podemos partir para o entendimento do conceito do BHÁVANA.

ENTÃO, O QUE É BHÁVANA?

BHÁVANA É A REFLEXÃO, A MEDITAÇÃO SOBRE A IDÉIA DA UNIDADE.

A prática diária da meditação nesse conceito da UNIDADE altera nossas motivações e concepções de vida, nosso BHÁVA

Uma das expressões que serve de caminho para a reflexão no Bhávana é a seguinte:
“ Penso com amor, que todas as coisas e todos os seres nasceram dentro do Espírito Universal, que compenetra tudo e sustenta tudo, em uma ordem constante e em vida eterna. Portanto, tanto os seres inferiores como os superiores participam da mesma vida, formando no espaço infinito um só corpo cósmico”.

* Vamos fazer agora a meditação no BHÁVANA
Sente-se na postura correta para a meditação. Braços e pernas relaxados, coluna reta, olhos fechados. Perceba sua respiração. Respire conduzindo o ar até o abdômen, lentamente. Observe o fluxo da sua respiração abdominal. O ar deve entrar e sair pelas narinas. Após algumas respirações abdominais, deixe sua respiração fluir naturalmente, sem forçá-la nem conduzi-la.

Reflitamos na expressão: PENSO COM AMOR – pense que no centro do seu peito existe uma chama e que essa chama é a chama do Amor Divino.Esse sentimento existe em você. Portanto tome consciência desse Amor por todas as coisas, no centro do seu peito. Em torno dessa chama existe uma aura e é ela que se irradia do seu coração. Essa aura se expande, cresce.

Nesse momento, pense que ela se expande primeiro para o seu próprio corpo, que todas as células do seu corpo vão ficando mergulhadas na sua aura de Amor Divino. Seus músculos, ossos, sangue, órgãos internos, cérebro, tudo isso está mergulhado nessa aura de Amor Divino.Depois essa luz se expande mais, para suas roupas, para o local que você está sentado, para os espaços próximos.

À medida que sua aura vai se expandindo, que essa luz do seu coração se amplia, você pensa que é uma luz plena de Amor Divino e que ela vai envolvendo o lugar que você se encontra, a cidade, tudo que existe dentro e ao seu redor. Os campos, rios, montanhas, árvores, florestas, mares, continentes, oceanos, nuvens, o ar e todos os seres que vivem nestes lugares. Envolva tudo isso com essa luz amorosa que se expande do seu coração. Envolva o planeta, tudo o que você gosta e também o que não gosta. Envolva com essa luz de Amor os seres e pessoas que você tem repulsa ou raiva. Pense que sua aura continua se expandindo, agora para todos os planetas, todos os mundos, outras galáxias.Pense mais ainda, que esse infinito envolve, também, os planos sutis, o que também nos é invisível. Os seres invisíveis que estão aqui, envolva-os nessa aura de puro Amor.

Pense em todos os planos sutis, nos elementais. Nas almas das pessoas falecidas, todos os seres angélicos e também os demoníacos. Vá envolvendo todos eles numa aura de Amor Divino.
Agora pense que tudo isso NASCEU DENTRO DO ESPÍRITO UNIVERSAL – imagine que existe um oceano único de luz que é o Espírito Universal de Consciência Pura e que todo esse Universo que você concebeu e envolveu com sua aura está mergulhado no Espírito Universal, nesse oceano. Pense nesse Espírito como uma grande Mãe que tem dentro dela todo o Universo, visível e invisível, grande e pequeno, bom e mau. Pense que esse Universo todo é uma ordem perfeita.

Tudo que existe faz parte de uma ordem perfeita. A dor, a alegria, o bem, o mal, o que parece justo e o que parece injusto, o louvor, os méritos, o pecado, o benefício. Todo o Universo faz parte de uma ordem e é eterno. A vida é uma só e ela se manifesta em cada um de nós. Nós somos a expressão dessa vida única, formada no espaço infinito. E estamos dentro de um só corpo cósmico. Neste momento pense que o Universo todo é um corpo único, como se cada mundo, cada galáxia, cada planeta fosse uma molécula, uma célula desse corpo cósmico.

Pense que esse Universo todo é um corpo único habitado por uma consciência única, por essa vida única e que VOCÊ, QUE O SEU EU É, AO MESMO TEMPO O IMUTÁVEL ESPÍRITO, ESSA CONSCIÊNCIA IMUTÁVEL E A MÚTÁVEL MATÉRIA. VOCÊ É AS DUAS COISAS AO MESMO TEMPO. VOCÊ É O UNIVERSO EM CONSTANTE MOVIMENTO E VOCÊ É ESSA CONSCIÊNCIA IMUTÁVEL QUE COMPENETRA E SUSTENTA O UNIVERSO. Visualiza sua aura envolvendo você e tudo isso, todo esse Universo sendo você parte dele.Isso é BHÁVANA.

ESSE é o conceito da UNIDADE. Reflita um pouco mais sobre isso.

Respire suavemente trazendo a consciência para o ambiente externo. Vamos inspirar e emitir o pranava OM de forma prolongada uma vez. Abra os olhos devagar.

4) Compartilhar a experiência
Boa prática!

* * *

Recebida por Anísia Alencar...

Um comentário: