Recorda desde a divina matriz o real propósito a que vens AQUI e pelo qual AGORA te manifestas!

Enquanto um diz: Namastê, te saúdo e te reconheço como a sagrada divindade. Em outro lugar, o outro pulsa: In lake´sh, eu sou o outro em você a serviço planetário da compreensão, da aceitação, da cura, da libertação e da realização.

Aquele que tudo vê, nos inspira e responde: "Com visão e esperança danço e canto para o coração divino." Acredito que assim nasce o puro, verdadeiro e divino AMOR, nossa responsabilidade básica.

Aqui e agora é tudo que existe de ETERNO. Respiro e sinto o que simplesmente É e dentro dessa Eternidade, a lembrança IMORTAL: SOMOS UM na Divina Presença.

Seja uno com cada ser-elemento manifesto e a gratidão lhe conecta na fonte de amor e alegria infinita, paz e compaixão infinita, paciência e tolerância infinita.

No espelho do ser, o reflexo D´eus. A união do Todo se traduz num som... OM... AMEM... silêncio!

OM TAT SAT OM...

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Daya Mata, mãe divina de compaixão e amor

Recebendo inspirações no exemplo destes seres iluminados que passam por este planeta, Assim respiro e vejo como vale a pena se esforçar e servir a um plano maior. Que as forças abençoadas destes mestres nos guiem a esta meta tão bela. Amém...
* * *


*EM MEMÓRIA: SRI DAYA MATA* 
31 de Janeiro de 1914 – 30 de Novembro de 2010

É com o mais profundo respeito e amor à nossa querida Presidente e Sanghamata que compartilhamos com vocês a notícia de que Sri Daya Mata faleceu pacificamente em 30 de novembro de 2010. Para os incontáveis milhares de membros e amigos que foram profundamente tocados por sua presença, ela era a encarnação dos ensinamentos e da obra do nosso Guru, e seu amor incondicional certamente vai continuar a abençoar a vida de cada um de sua família espiritual no mundo inteiro.



*UMA MENSAGEM ESPECIAL DO CONSELHO DE DIRETORES DA SRF*

1º de Dezembro de 2010

Queridos,

Em 30 de novembro de 2010, nossa amada Sri Daya Mataji, Presidente e Sanghamata da Self-Realization Fellowship / Yogoda Satsanga Society of India, pacificamente deixou sua forma mortal. Sua vida, tão radiante com a luz e o amor de Deus, uniu-se ao vasto oceano do seu amor onipresente. Somos gratos porque a Mãe Divina permitiu a ela ficar por muitos anos para abençoar este mundo com seu amor maternal e de compaixão, que tocou as vidas de todos nós.

Nossos corações anseiam tê-la conosco ainda. Mesmo assim, não mancharíamos com pesar a alegria celeste das divinas boas-vindas que recebeu no reino para além deste mundo, nem hesitaríamos em reconhecer a bem-aventurança além da imaginação que sua alma conhece agora por ter realizado com tanta perfeição, nobreza e coragem as vastas responsabilidades espirituais que Gurudeva colocou em seus ombros.

Desde o início, quando ela veio para o ashram como uma tímida jovem de dezessete anos, Guruji viu nela uma discípula em quem podia colocar sua mais elevada confiança - uma verdadeira devota que ansiava por Deus acima de tudo, que seria a fiel guardiã da sua obra, mãe de incontáveis almas no caminho espiritual. Por meio da receptividade de seu coração, ele a orientou no desenrolar de sua vida, infundindo nela a força espiritual que permitia enfrentar todos os desafios que os anos trariam, com fé absoluta em Deus, e com o único desejo de fazer a vontade do Guru. Através dos anos, ela estabeleceu uma base firme para seu trabalho no Oriente e no Ocidente e guiou-o a partir de sua sintonia completa com os objetivos e espírito de Guruji.

Ela registrou fielmente suas palavras de sabedoria e manteve firmemente a pureza dos seus sagrados ensinamentos para todas as novas gerações de devotos.

Nossa amada Daya Mataji agitou nossos corações ansiando pelo Divino, tal como Gurudeva agitou o dela, vivendo ao máximo as suas palavras: "Esteja tão inebriado com o amor de Deus que você não precise conhecer mais nada, apenas Deus; e dê esse amor a todos”. Abismada nessa consciência jubilosa, ela amava a todos como filhos de Deus. Almas vindas de toda parte ofereceram a ela seus mais profundos sentimentos e cuidados, e com o terno amor da Mãe Divina, ela os mantinha em seus pensamentos e orações. Através de seu vasto coração muitos experimentaram, talvez pela primeira vez, o que significava o ser amado incondicionalmente. Ela queria apenas servir, e seu pensamento nunca foi para si, mas "como posso ajudar essa alma?"

A essência do seu ser era o próprio amor e nossa alma prontamente respondeu. Em reverente gratidão pelo presente abençoado de sua vida nós reverenciamos a Deus e ao Guru. E o convidamos a juntar-se a nós em oração enquanto interiormente ornamentamos o caminho de sua alma com flores de gratidão por tudo que ela proporcionou a cada um de nós, ao trabalho abençoado do Guru, e a este mundo. Honremos nossa Mãe querida seguindo em frente com coragem e com o entusiasmo divino que instilou em nós, depositando em seus pés o maior tributo - a nossa vontade de seguir o seu exemplo vivendo divinamente, amando a Deus de forma devotada, e amando os outros como parte Dele. Com os laços invisíveis do mais puro amor, vamos mantê-la perto em nossos corações até que um dia nos encontremos novamente em Sua alegria sem limites.

Em Amizade Divina,
Mrinalini Mata, Vice-Presidente

Nenhum comentário:

Postar um comentário