Recorda desde a divina matriz o real propósito a que vens AQUI e pelo qual AGORA te manifestas!

Enquanto um diz: Namastê, te saúdo e te reconheço como a sagrada divindade. Em outro lugar, o outro pulsa: In lake´sh, eu sou o outro em você a serviço planetário da compreensão, da aceitação, da cura, da libertação e da realização.

Aquele que tudo vê, nos inspira e responde: "Com visão e esperança danço e canto para o coração divino." Acredito que assim nasce o puro, verdadeiro e divino AMOR, nossa responsabilidade básica.

Aqui e agora é tudo que existe de ETERNO. Respiro e sinto o que simplesmente É e dentro dessa Eternidade, a lembrança IMORTAL: SOMOS UM na Divina Presença.

Seja uno com cada ser-elemento manifesto e a gratidão lhe conecta na fonte de amor e alegria infinita, paz e compaixão infinita, paciência e tolerância infinita.

No espelho do ser, o reflexo D´eus. A união do Todo se traduz num som... OM... AMEM... silêncio!

OM TAT SAT OM...

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

Mudança de Perspectiva, transformando o sofrer


Acredito que compartilhando um momento individual com alguem,  estamos compartilhando um momento que pode auxiliar muitos outros, porque somos UM!  É tudo mútuo!!!

* * *

Querido ser, muito válido para nós, ontem estava a ler o capitulo 10 do livro "Arte da Felicidade" de Dalai Lama, e me senti tocada a compartilhar contigo pra resolver certas convicções tao duras em que estamos a se emaranhar, porque Ele fala muito de FLEXIBILIDADE, que a meu ver é o caminho do yoga, ser flexivel e nao duro demais sobre as situaçoes.

Trascrevo abaixo e se permita ler tudo, fará bem pra que as palavras SINTO MUITO - ME PERDOE - TE AGRADEÇO - TE AMO venham puras da sinceridade da aceitaçao de coisas que voce tambem tinha que enxergar em si e eu sou só um instrumento pra isso tambem.

Temos a tendencia a nos apegar muito à periferia de uma negatividade vil natural dos encontros externos sem olhar o centro da positividade interior que te atraiu a algum lugar. Sabemos que dentro e fora é só uma separaçao de algo que é parte da mesma essencia e nao tem nada de certo ou errado ou deve ser assim ou assado.

Tudo de "bom ou ruim" que passamos faz parte da mesma trama da teia da vida.

E ainda que eu perceba que no nivel de ego ferido, se encontra tanta coisa que nao parece vir do real e sim da dor ou frustação de expectativas projetadas que espero que estao a ser clareadas. Quando sinto que ainda há um equivoco, escrevo.

Creio que ainda se tenta de toda a forma consolar algo pela atitude tomada de ter largado algo pra vir ao encontro de outro algo, sem ver o real motivo ou interesse por traz disso, perdoar e se perdoar tambem. Quando penso no meu desequilibrio de açoes ou reaçoes, penso que foi na defesa pra sobreviver frente a tanta coisa que eu nao estava em hora de receber pra me colocar pra baixo, ainda assim estou refletindo sobre o significado de tudo isso.

E o drama segue num ataque ao ego, percebo que assim, nem se chega a algum lugar, isso é pura ilusao, é o lugar nenhum, pois como podemos enxergar compassivamente o outro, justo em situaçoes dificeis da vida e achar que tem a bagagem necessaria pra me julgar ou me punir ou colocar numa caixinha e dizer que isto sou eu? Isto é a periferia, o que sou não é isto, mas passo por uma fase, sendo assim nao me importa os julgamentos, porque há de se considerar todas as partes na situaçao tambem. E nao é esse ponto, nem o apontar!!! O ponto é realmente se perdoar e perdoar o outro e sem brigas poder realmente falar de amor, paz e harmonia e seguir bem.

A briga existe quando se constroem obstaculos e estou desde sempre aqui aberta e sem armas, sempre desde sempre pronta pra conversar ainda que minha tolerancia e paciencia nao tenha sido o suficiente pra manter-me tranquila todo o tempo. Talvez proque assim era necessario pra te ajudar a nao negar o lado humano dentro do divino que somos.

Isso, a negaçao do imperfeito dentro da afirmaçao do perfeito, é tambem uma trama do ego. O fato de fugir pra nao enxergar e resolver o que tem a ser sanado.

Bem é isso, sigamos livres... pelo bem e pelo amor... entre os ciclos do dar e do receber, que é o próprio respirar :)

* * *

DALAI LAMA fala sobre a transformaçao do sofrimento, creio que nesta vida tive a possibilidade de desenvolver esta capacidade ainda que restem impressoes latentes a serem sanadas.

Transcrevo entao alguns pedaços, mas se puder passe numa livraria e leia na íntegra e boa sorte na sua jornada. Nao digo que nao o estamos fazendo, mas é pra clarear alguns outros pontos, que em parte sim e em parte naoestao bem alinhados.

* * *

MUDANÇA DE PERSPECTIVA

Esta capacidade pode ser um dos instrumentos mais poderosos e eficazes de que dispomos para resolver os problemas diários da vida. A capacidade de encarar os sofrimento a partir de pontos de vista diferentes pode ser muito útil. Podemos usar certas tragédias e experiências pra desenvolver uma tranquilidade na mente.

Quando passamos por situaçoes desesperadas não ha tempo para fingir, nem representar. Parece que muitas vezes quando surgem problemas nosso enfoque se estreita, quando isto acontece, creio que ver as coisas de enfoque mais amplo pode decididamente ajudar.

Por exemplo, se encarar por um angulo diferente, sem duvida a pessoa que lhe despertou essa raiva terá uma porçao de pontos positivos, de qualidades positivas. Se olhar com cuidado, também descobrirá que o ato que lhe deixou com raiva também lhe propiciou certas oportunidades.

... e ele fala dos 8 versos sobre o treinamento da mente ... (eu já havia feito muitas vezes e creio que vou colocar como parte do meu sádhana)

Entao, veja em: http://www.dharmanet.com.br/vajrayana/oito.htm

A MAIOR VANTAGEM DE UMA MENTE FLEXÍVEL CONSISTE EM QUE ELA NOS PERMITE ABRAÇAR TODA A VIDA - A PLENITUDE DE SERMOS VIVOS E HUMANOS.

... e para concluir finalizo com uma outra citaçao linda!

A questao é descobrir como podemos manter com coerência e firmeza esse conjunto de valores latentes e ainda permanecer flexíveis. Dalai Lama parece ter conseguido este feito, começando por reduzir seu sistema de crenças a alguns fatos fundamentais:

1) Sou um ser humano
2) Quero ser feliz e não quero sofrer
3) Outros seres humanos, como eu, também querem ser felizes e não querem sofrer.

Acho que é tudo!!! E ele ainda fala sobre a procura do equilibrio, mas fico por aqui pra nao me estender demais...

Na paz e na compaixao ilimitada do Buddha, OM NAMO MANI PADME HUM

com (e) terno carinho e todo o bem!

* * *

ONE LOVE - ONE HEART - ONE EARTH

* * *

Nenhum comentário:

Postar um comentário