Recorda desde a divina matriz o real propósito a que vens AQUI e pelo qual AGORA te manifestas!

Enquanto um diz: Namastê, te saúdo e te reconheço como a sagrada divindade. Em outro lugar, o outro pulsa: In lake´sh, eu sou o outro em você a serviço planetário da compreensão, da aceitação, da cura, da libertação e da realização.

Aquele que tudo vê, nos inspira e responde: "Com visão e esperança danço e canto para o coração divino." Acredito que assim nasce o puro, verdadeiro e divino AMOR, nossa responsabilidade básica.

Aqui e agora é tudo que existe de ETERNO. Respiro e sinto o que simplesmente É e dentro dessa Eternidade, a lembrança IMORTAL: SOMOS UM na Divina Presença.

Seja uno com cada ser-elemento manifesto e a gratidão lhe conecta na fonte de amor e alegria infinita, paz e compaixão infinita, paciência e tolerância infinita.

No espelho do ser, o reflexo D´eus. A união do Todo se traduz num som... OM... AMEM... silêncio!

OM TAT SAT OM...

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

O Treinamento da Mente em Oito Versos

"O sorriso enriquece os recebedores
sem empobrecer os doadores"
William Shakespeare



Sugestão de Sádhana (prática espiritual) com estes lindos versos de Langri Thangpa (1054-1123), a ser aplicado diariamente como reflexão para adentrar no campo compassivo do meditar e contemplar.

* * *

Domingo

Com o desejo de atingir a iluminação

Para o bem de todos os seres sencientes,

Que superam até mesmo a Joia que Realiza Desejos,

Que eu possa apreciá-los constantemente


Segunda

Sempre que estiver com os outros,

Que eu me considere o menos importante

E, do fundo do coração,

Aprecie todos e os considere supremos.


Terça

Em todas as atividades, que eu examine a minha mente

E, assim que emoções aflitivas surgirem,

Pondo em perigo a mim e aos outros,

Que eu as confronte e as evite com firmeza.


Quarta

Sempre que eu vir um ser maldoso,

Tomado por intensa negatividade e sofrimento,

Que eu o aprecie como algo raro,

Como quem se depara com um tesouro inestimável.


Quinta

Quando os outros por inveja

Me destratarem com calúnias e insultos,

Que eu tome a derrota para mim

E lhes ofereça o triunfo.


Sexta

Quando alguém a quem ajudei

Com tanta esperança e expectativa

Me magoar profundamente e sem razão,

Que eu o considere como meu mestre sublime.


Sábado

Em resumo, que eu possa, direta e indiretamente,

Oferecer felicidade e paz a todas as minhas mães;

E tomar secretamente sobre mim

Toda a sua maldade e sofrimento.


Todos os dias

Que, em todas essas [ocasiões], a minha mente não seja maculada

Pelas oito preocupações comuns

E saiba que todas as coisas são ilusões:

Livre de apego, que eu possa libertar todos os seres do cativeiro.


* * *
 
Também mais sobre o amado ser, avatar da compaixão, Dalai Lama: http://www.starnews2001.com.br/dalai.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário