Recorda desde a divina matriz o real propósito a que vens AQUI e pelo qual AGORA te manifestas!

Enquanto um diz: Namastê, te saúdo e te reconheço como a sagrada divindade. Em outro lugar, o outro pulsa: In lake´sh, eu sou o outro em você a serviço planetário da compreensão, da aceitação, da cura, da libertação e da realização.

Aquele que tudo vê, nos inspira e responde: "Com visão e esperança danço e canto para o coração divino." Acredito que assim nasce o puro, verdadeiro e divino AMOR, nossa responsabilidade básica.

Aqui e agora é tudo que existe de ETERNO. Respiro e sinto o que simplesmente É e dentro dessa Eternidade, a lembrança IMORTAL: SOMOS UM na Divina Presença.

Seja uno com cada ser-elemento manifesto e a gratidão lhe conecta na fonte de amor e alegria infinita, paz e compaixão infinita, paciência e tolerância infinita.

No espelho do ser, o reflexo D´eus. A união do Todo se traduz num som... OM... AMEM... silêncio!

OM TAT SAT OM...

quinta-feira, 10 de dezembro de 2009

O que te perturba?

"Viva cada momento presente
de maneira intensa,
e o futuro cuidará de si mesmo.
Aprecie plenamente a maravilha
e a beleza de cada instante.
Pratique a presença da paz.
Quanto mais o fizer,
mais sentirá a presença
desse poder em sua vida."

Paramahama Yogananda



[...] A razão para um retiro solitário é se libertar de distúrbios. Mas o que é isso que te perturba? Você se perturba. Então, se você não perturbar a si mesmo, já está pronto.

Em outras palavras, a ênfase não está no ambiente, mas no modo como você reage ao ambiente. Nossas mentes ficam agitadas e perturbadas pela nossa perseguição aos objetos dos cinco sentidos. Se podemos controlar isso, já temos realização em retiro solitário.

Se o problema realmente estivesse nos cinco tipos de objetos sensoriais, eles também deveriam perturbar cadáveres. Então, viva em um lugar onde você não se perturbe, ou seja, onde você pare de perturbar a si mesmo.

Gyatrul Rinpoche (China, 1924 ~)
"Natural Liberation"

Nenhum comentário:

Postar um comentário